Mais Lidas

Guerra à Covid em São Paulo

Secretário insatisfeito com falta de decisão para impedir aglomeração nos transportes

Alexandre Baldy defende que o governo paulista decrete e não apenas recomende escalonamento de horários

acessibilidade:
Alexandre Baldy. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O ex-ministro Alexandre Baldy, secretário dos Transportes Metropolitanos do governo estadual de São Paulo deu demonstrações de insatisfação com a relutância na adoção de medidas para impedir a aglomeração nos transportes públicos. ônibus e metrô continuam circulando superlotados.

Ele deve insistir na ideia de que o governo de São Paulo deixe de apenas “recomendar” e decrete o escalonamento de turnos de trabalho para diminuir a aglomeração de passageiros no transporte público.

A proposta de escalonamento foi defendida pelo próprio Baldy durante entrevista, há uma semana, ao Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes.

Horas depois da entrevista de Baldy, na sexta-feira (5), durante coletiva da comissão de medidas contra a Covid-19, o coordenador, João Gabbardo, revelou ignorar o assunto, assim como a secretária de Desenvolvimento, Patrícia Ellen, que também faz parte da comissão de contigenciamento.

A reação do governador João Doria, presente na coletiva, reforçou a constatação de que o governo paulista jamais havia discutido problema da aglomeração no transporte público.

Alexandre Baldy não ficou satisfeito com a decisão do Estado de apenas recomendar a adoção da medida.

Foram apresentadas três sugestões de horário: entre 5h e 7h para trabalhadores da indústria, entre 7h e 9h para serviços gerais e 9h e 11h para o comércio.

Vídeos Relacionados