Mais Lidas

Educação

São Paulo vai aumentar quantidade de alunos com aulas presenciais em agosto

Escolas poderão determinar capacidade de receber a todos garatindo segurança contra covid

acessibilidade:
Retorno das aulas presenciais em São Paulo. Foto: Reprodução/TV Globo

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira, 16, a capacidade de alunos permitidos em sala de aula nas escolas do Estado aumentarão a partir do mês de agosto. Nesta nova etapa, para calcular a porcentagem de alunos permitidos será levada em consideração a capacidade total de acolhimento das escolas e não mais o total de matrículas.

Segundo o anunciado, o distanciamento mínimo entre as pessoas passa a ser de 1 metro e não mais de 1,5 metro. Cada escola irá elaborar o seu plano de retorno levando em consideração a realidade da comunidade escolar, e neste momento a volta às aulas presenciais não será obrigatória para os estudantes.

“Neste novo plano, a partir de agosto, cada escola deverá determinar a capacidade de acolhimento total de alunos de acordo com a sua realidade, desde que sejam respeitados todos os protocolos de prevenção, como uso de máscara, álcool em gel e distanciamento mínimo de um metro entre os estudantes na sala de aula”, afirmou Doria. “São Paulo foi o primeiro estado do Brasil a vacinar os profissionais de Educação e está empenhado em garantir um retorno seguro às aulas presenciais”, completou o governador.

Segundo ele, mais de 3 milhões de testes de Covid-19 foram comprados para serem aplicados em professores e alunos neste plano de retomada.

A imunização dos professores e trabalhadores de escolas foi apontada pelo Estado como um dos motivos para o aumento da capacidade de estudantes nas salas de aula. Ela teve início em 10 de abril e foi dividida em quatro etapas diferentes. No momento, os docentes e trabalhadores da educação com entre 18 e 44 anos estão recebendo as primeiras doses de imunizante no Estado.

Todos os demais protocolos de segurança para o combate ao coronavírus como uso correto de máscara, medição de temperatura, higienização constante das mãos e identificação e afastamento de casos suspeitos ou confirmados serão mantidos. Os casos devem ser notificados à Unidade Básica de Saúde (UBS) e registrados no sistema de monitoramento da Seduc-SP, o SIMED, e atualizado com o registro médico.

“Quanto mais tempo demorarmos a voltar, maior será o déficit de aprendizagem dos nossos estudantes. É urgente voltarmos com nossas crianças, jovens e adultos às aulas presenciais”, destacou o Secretário da Educação, Rossieli Soares.

Vídeos Relacionados