Mais Lidas

Efeito ômicron

Prefeitura de SP cancela carnaval de rua e mantém desfiles no Sambódromo

Decisão foi tomada em reunião entre o prefeito Ricardo Nunes e representantes da Secretaria Municipal de Saúde

acessibilidade:
Foto: EBC

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou nesta quinta-feira, 6, o cancelamento do carnaval de rua de São Paulo deste ano devido ao avanço da Covid-19 na cidade e do surto de influenza. Desde dezembro, a variante ômicron tem feito os casos de infecção saltarem expressivamente. A decisão foi tomada em reunião entre Nunes e representantes da Secretaria de Saúde.

“A sugestão é que a cidade cancele as atividades do Carnaval de rua desse ano. A circulação de uma grande quantidade de pessoas pode agravar esse quadro que nós temos hoje aqui na cidade”, afirmou o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido.

Inicialmente, a gestão municipal estudava transferir os desfiles de blocos para o Autódromo de Interlagos ou para o Memorial da America Latina. Durante a reunião, a ideia foi descartada. Entidades que representam blocos do Carnaval de rua de São Paulo já haviam emitido um comunicado nesta quarta-feira, 5, informando que a maioria dos grupos participantes dos coletivos não irão sair às ruas no carnaval.

Apesar do cancelamento, Nunes manteve os desfiles das escolas de samba de SP no Sambódromo do Anhembi, que devem acontecer nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro. Entretanto, os desfiles só poderão ocorrer se a Liga de Escolas de Samba aceitar os protocolos sanitários, que ainda não foram definidos.

“Nós vamos sentar com a Liga das Escolas para estabelecer esses protocolos de acordo com as exigências da Vigilância Sanitária. Nossa preocupação não é apenas com os desfiles, mas também com as aglomerações nos ensaios”, afirmou Aparecido.

A solução é similar a anunciada pela Prefeitura do Rio de Janeiro, que manteve os desfiles na Marquês de Sapucaí, mas cancelou a saída dos blocos de rua na capital fluminense.

Vídeos Relacionados