Mais Lidas

Fórum Permanente

Rollemberg se reúne com governadores para tratar de dívidas com a União

Os dirigentes almejam que o prazo de pagamento aumente

acessibilidade:

O governador Rodrigo Rollemberg recebeu 15 chefes de Executivos nesta terça-feira (22) na Residência Oficial de Águas Claras. Durante o Fórum Permanente de Governadores a pauta principal foi o alongamento do prazo de pagamento das dívidas dos Estados com a União.

Os governadores acreditam que se obtiverem aprovação da medida no Congresso Nacional e a sanção da presidente Dilma Rousseff, terão um caixa maior para investimentos em áreas significativas, como projetos de infraestrutura e sociais.

O que dirigentes almejam, que os passivos possam ser pagos em até 50 anos, atualmente o prazo para quitação é de 30 anos.

Em comparação com as demais unidades da federação, o Distrito Federal tem uma das menores dívidas, o passivo gira em torno de R$ 972 milhões, graças ao refinanciamento feito com o Banco do Brasil, antes disso o valor era de 1,3 bilhão.

Também foi debatido o uso de 40% dos depósitos judiciais privados para o pagamento de precatórios, “essas medidas contribuem para melhorar o ambiente econômico nos estados e no DF e para resgatar a capacidade de investimento, o que ajuda a fortalecer a economia para fazer o País voltar a crescer”, afirma Rollemberg.

Um dos frutos do Fórum Permanente de Governadores foi a diminuição do montante da dívida do DF com a União, por meio de decreto de dezembro de 2015, Dilma autorizou a cobrança de novos indexadores nos contratos de financiamento, assim, a partir de abril, o DF deixa de repassar mensalmente R$ 4 milhões para ao caixa federal.

Participaram do Fórum, os governadores de Alagoas, Renan Filho; do Amazonas, José Melo de Oliveira; da Bahia, Rui Costa; do Ceará, Camilo Santana; de Goiás, Marconi Perillo; de Mato Grosso, Pedro Taques; da Paraíba, Ricardo Coutinho; do Pará, Simão Jatene; de Pernambuco, Paulo Câmara; do Piauí, Wellington Dias; do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori; de Rondônia, Confúcio Moura; de São Paulo, Geraldo Alckmin; e do Tocantins, Marcelo Miranda. Também compareceram os vices-governadores do Acre, Nazareth Araújo; do Amapá, Papaléo Paes; do Espírito Santo, César Colnago; e do Paraná, Cida Borghetti. Havia ainda representantes dos governos do Rio de Janeiro, de Roraima e de Mato Grosso do Sul.