Para voltar ao trabalho

Rodoviários esperam repasse cair na conta

MPDFT já advertiu GDF de possíveis ações por improbidade administrativa

acessibilidade:

A segunda-feira (8) começa complicada no Distrito Federal para cerca de 700 mil passageiros, devido à continuidade da paralisação dos rodoviários das empresas Urbi, Pioneira e Marechal. São mais de 1.500 ônibus fora de circulação em 17 regiões administrativas.

Os trabalhadores estão concentrados na frente da garagem da empresa Marechal, no Psul, esperando que o dinheiro repassado pelo Departamento Urbano do Distrito Federal (DFTrans) as empresas de ônibus, entre na conta. É o que afirma o diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários João Jesus de Oliveira, ?esperamos que o secretário de transporte cumpra o que falou, os trabalhadores querem que seus direitos sejam assegurados para voltar ao trabalho?.

A dívida do DFTrans com as empresas é de R$ 80 milhões. No sábado o DFTrans transferiu a quantia de R$ 35 milhões para as empresas, a Pioneira ficou com R$ 1,9 milhões, Urbi recebeu R$ 6,5 milhões, a São José R$ 6 milhões, R$ 7 milhões para a Piracicabana e R$ 6.5 milhões para a Marechal.

Na sexta-feira (5) o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) encaminhou para o DFTrans uma advertência sobre possíveis ações judiciais por improbidade administrativa contra o governador Agnelo Queiroz, os secretários da Fazenda, do Transporte e do DFTrans, caso persista a inadimplência com as empresas de transporte público.

Reportar Erro