Mais Lidas

Imbróglio tucano

PSDB deve se reunir nesta tarde para discutir adiamento das prévias

O governador João Doria e o ex-prefeito Arthur Virgílio, candidatos tucanos à vaga para disputa presidencial, criticaram o governador Eduardo Leite pela proposta; o gaúcho nega a solicitação

acessibilidade:
João Doria, Arthur Virgílio e Eduardo Leite em debate das prévias do PSDB. Foto: Governo de SP/Divulgação

O PSDB deve se reunir na tarde desta terça-feira, 16, para discutir a possibilidade de adiar o resultado das prévias do partido, marcado para acontecer no próximo dia 21. O pedido teria partido de representantes do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que disputa a vaga para representar o partido nas eleições presidenciais com o governador de São Paulo, João Doria, e com o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

Em nota conjunta divugada na noite de segunda-feira, 15, as campanhas de Doria e Virgílio consideram a proposta “imoral e inaceitável”. “Adiar as prévias é casuísmo eleitoral”, afirma o texto.

“A experiência adotada pelo PSDB oferece inúmeras alternativas confiáveis para a realização das eleições no prazo acordado”, afirma a nota. “Eleições não se adiam, se realizam.”

No entanto, Eduardo Leite nega ter feito ou avalizado a sugestão. Ele disse que a inormação é alsa e que ele e toda equipe estão trabalhando com absoluta confiança na vitória.

“Não faz sentido postergarmos um processo no qual temos confiança na vitória”, escreveu no Twitter.

O motivo alegado pelos representantes do governador gaúcho na reunião, que está gravada, são as dúvidas em relação ao aplicativo de votação. Uma auditoria feita pela empresa Kruptus, a pedido do PSDB, encontrou sete falhas no aplicativo desenvolvido pelo partido que irá recolher e contabilizara o resultado da escolha dos membros da legenda, em uma eleição marcada para o dia 21. As falhas foram relatadas na noite desta segunda, em uma reunião entre a comissão eleitoral e o presidente da sigla, Bruno Araújo.

No momento do debate sobre alternativas, foi sugerido então à equipe de Doria, para não usar o instrumento. “Diante do fato que dia 21 é impossível superarmos todas essas dificuldades, vamos adiar. Nossa posição é essa. Nossa proposta é adiarmos as prévias”, disse Jutahy Magalhães Junior (BA), um dos coordenadores da campanha de Leite.

O grupo de Doria defendia o aluguel de urnas eletrônicas do Tribunal Superior Eleitoral, o que foi considerado muito caro pelo partido.

O aplicativo foi desenvolvido por uma universidade gaúcha, o que aumentou as desconfianças dado que é o estado de Leite. Araújo nega qualquer problema e ressalta que a Kryptus e a Universidade de São Paulo participaram da avaliação do produto.

Com a confusão acerca do adiamento proposto, há o risco de uma judicialização antecipada do processo, que é tudo o que Doria e Virgílio não querem.

Vídeos Relacionados