Mais Lidas

MP de Alagoas de luto

Promotora de Justiça morre vítima da Covid-19, em Maceió

Juçara Amaral atuou durante 34 anos no M de Alagoas, que decretou luto de três dias

acessibilidade:
Promotora de Justiça de Alagoas, Jucara Tavares Suruagy do Amaral. Foto: Reprodução

Responsável pelo controle social das políticas públicas em meio à pandemia mortal de covid-19, o Ministério Público de Alagoas (MPAL) está de luto pela morte da promotora de Justiça Juçara Tavares Suruagy do Amaral, que não resistiu ao novo coronavírus e se tornou nesse domingo (14) uma das mais de 3 mil vítimas fatais da doença no estado.

O Ministério Público Estadual (MPE) publicou nota em que o procurador-geral de Justiça Márcio Roberto Tenório de Albuquerque decreta luto de três dias, e lamenta o falecimento da promotora, que ficou internada na clínica MedRadius, em Maceió.

“É com profunda tristeza que o Ministério Público do Estado de Alagoas comunica o falecimento da querida promotora de Justiça Juçara Tavares Suruagy do Amaral. Mais uma vítima dessa doença que insiste em nos afastar das pessoas que admiramos”, disse o chefe do MP, em um trecho da nota.

Além de alertar para o momento de preservação das vidas e o necessário cumprimento das medidas sanitárias, o procurador-geral de Justiça ainda deseja fé e resiliência aos familiares e amigos, para que todos possam enfrentar a partida tão repentina da promotora Juçara.

“Fica a nossa certeza de que, a partir de agora, ela distribuirá justiça em outro plano. Mais uma vez, reforçamos a necessidade para que cada cidadão alagoano preserve e cuide dos seus, adotando todas as medidas recomendadas pelas autoridades sanitárias e de saúde. É que, somente aqui em Alagoas, nas últimas 24 horas, o novo coronavírus fez 16 vítimas fatais, com a descoberta de mais 697 casos. Além disso, a ocupação hospitalar dos leitos de UTI está comprometida em 83%. Portanto, precisamos nos unir na preservação de vidas. Essa é uma batalha que tem que ser travada de forma coletiva”, apelou a nota assinada por Márcio Roberto.

Legado da promotora

O procurador-geral de Justiça também destacou na nota o legado da promotora Juçara Suruagy, que durante 34 anos dedicou sua vida ao Ministério Público, somando-se às fileiras dos membros com desejo de promover justiça em Alagoas.

“Começou sua carreira no interior do estado, tendo sido nomeada em 27 de fevereiro de 1987. Ao longo dos anos, emprestou seu saber jurídico para preservar direitos sociais nas Promotorias de Justiça de Major Izidoro, Campo Alegre e Satuba. Tempos depois, foi promovida para a capital, passando a desenvolver suas atribuições na 8ª Promotoria de Justiça. Foi lá que ela dedicou seus últimos anos de trabalho, ajudando famílias maceioenses a resolverem suas demandas na área de família”, resumiu a nota.

Vídeos Relacionados