Mais Lidas

Já era

Bolsonaro não tem saída: para se recompor com STF, terá de demitir Weintraub

Weintraub contribuiu para azedar de vez as relações do governo com o Supremo Tribunal Federal

acessibilidade:
Ministro da Educação, Abraham Weintraub -Foto: Valter Campanato/ABr

A demissão do ministro Abraham Weintraub não deixará o presidente Jair Bolsonaro feliz, porque ele gosta do jeitão beligerante do ministro da Educação, mas ele sabe que precisa se livrar do auxiliar que contribuiu para azedar de vez as relações do governo com o Supremo Tribunal Federal, ao chamar seus ministros de “vagabundos”. O STF está indócil: para os ministros, ao manter Weintraub, Bolsonaro avaliza seus insultos. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O recado não dito e nem escrito é o seguinte: para dar uma chance ao entendimento com o Planalto, só mesmo após a demissão de Weintraub.

O ministro, que perderá mais uma nesta quarta no STF, está na mira dos. Ministros e será usado ad nauseum para admoestar o presidente.

Entre ministros com gabinete no Planalto é consensual a necessidade da demissão. “Weintraub virou tóxico para o governo”, disse um deles.

Bolsonaro busca uma solução para não deixar o ministro da Educação “debaixo de chuvas e trovoadas”, enquanto procura um bom substituto.

Reportar Erro