Bicentenário da Independência

Presidente do Congresso destaca importância do 7 de setembro e defende mudanças sociais

Pacheco destacou ainda a importância da Constituição de 1998 para o fortalecimento dos valores republicanos no Brasil

acessibilidade:
Rodrigo Pacheco abriu a sessão solene pelo Bicentenário da Independência. Foto: Pedro França/Agência Senado

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse, nesta quinta-feira (8), que a independência do Brasil, em 1822, deve ser motivo de orgulho para todos os brasileiros, quando a então jovem nação conquistou o patamar de igualdade e respeito em relação as demais nações.

“Passamos a decidir como governar nosso País de modo autônomo”, disse Pacheco durante a sessão solene que comemora os 200 anos da Independência do Brasil, que está sendo realizada neste momento no Plenário da Câmara dos Deputados.

Pacheco ressaltou que o caminho trilhado desde então representou uma guinada no sentido da liberdade e da democracia. Apesar disso, afirmou, que ainda restam muitos problemas que precisam ser enfrentados.

“A Independência não é o ponto de partida nem a linha de chegada da mudança social.  Uma radiografia das condições econômicas, políticas e sociais aponta um quadro ainda precário”, disse o presidente do Congresso.

“Diante disso, precisamos analisar o que falhou e, mais importante, o que podemos fazer para mudar esse cenário. Isso só é possível com planejamento, muito trabalho, senso público e o otimismo que deve marcar nossas ações”, concluiu.

Pacheco destacou ainda a importância da Constituição de 1998 para o fortalecimento dos valores republicanos no Brasil e disse que não há mais espaços para retrocessos.

“Seus fundamentos [da Constituição] serviram e servirão para enfrentarmos alegóricos retrocessos antidemocráticos e eventuais ataques ao Estado de Direito e à democracia. Isso é irrefutável, isso é irreversível”, afirmou.

Autoridades
A sessão solene que comemora os 200 da Independência está sendo acompanhada pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL); do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, entre outras autoridades brasileiras e também estrangeiras, como o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

A sessão solene para celebrar o Bicentenário da Independência foi solicitada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e pelos deputados Joenia Wapichana (Rede-RR) e Túlio Gadêlha (Rede-PE). (Agência Câmara de Notícias)