Mais Lidas

ATAQUE MACHISTA

Prefeito tentou intimidar repórter que revelou escola sucateada, em Alagoas

Polícia e Câmara apuram ataque à honra de repórter após matéria

acessibilidade:

O tom irônico da resposta a um pedido de satisfação para a falta de manutenção de uma escola que atrasou o início das aulas na unidade de ensino do município de Capela (AL) transformou-se em uma agressão machista e ameaçadora do prefeito Adelmo Moreira Calheiros, vulgo “Adelminho” (MDB-AL), contra a jornalista Thayanne Magalhães, na madrugada do último sábado (17). A atitude coronelista mal disfarçada pela alegação de ter enviado a mensagem por engano virou caso de polícia, em Alagoas, e está sendo acompanhado até pela Câmara dos Deputados, em Brasília.

A repórter do jornal Tribuna Independente prestou queixa à Polícia Civil e a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados já instaurou procedimento para acompanhar o caso e já cobrou da Delegacia Geral as informações sobre as medidas adotadas para apurar o fato. O ofício da CDHM foi assinado pelo seu presidente, o deputado Paulão (PT-AL).

O texto da mensagem do prefeito tentava intimidar a repórter, sugerindo que teria informações de que ela faltava aulas para “se envolver com drogas e homens diferentes”, durante sua vida escolar em Capela. E foi enviada para a profissional de imprensa, na madrugada seguinte à publicação da reportagem em que o prefeito agradecia ironicamente a preocupação da jornalista com o atraso no ano letivo e de afirmar que tudo estava “sob controle” na Escola Stela Cabral, que ficou sem condições de receber crianças, porque foi tomada pelo mato.

“Ele não tem a menor credibilidade. E, mesmo se eu fosse tudo isso que ele está dizendo, que eu não fui, não se pode reagir dessa forma contra um profissional de imprensa”, disse a jornalista ao Diário do Poder.

Thayanne Magalhães vai processar o gestor público cível e criminalmente, pedindo condenações por reparação de danos morais, ameaça e crimes contra a honra.

Veja na imagem da mensagem do prefeito e a resposta da jornalista:

O Diário do Poder entrou em contato com o prefeito Adelminho Calheiros e perguntou qual seria seu posicionamento. Mas ele leu e não respondeu as seguintes perguntas: “O senhor admite que usou tom ameaçador e machista, na mensagem enviada para a Thayanne Magalhães? Arrepende-se da reação que teve? Esse caso teria a mesma reação se a matéria tivesse sido feita por um jornalista homem? Vai se retratar publicamente?”.

Flávio Peixoto, diretor da Jorgraf (Cooperativa de Jornalistas e Gráficos do Estado de Alagoas), da qual faz parte a Tribuna Independente, garantiu que irá apoiar a jornalista e defender a liberdade de imprensa diante da atitude do político que considerou absurda.

A vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Valdice Gomes, condenou a tentativa do prefeito de ameaçar o exercício da profissão, com misoginia e machismo. “Um crime contra a jornalista e a liberdade de imprensa. Lamentável partir de um gestor. Não tendo argumentos a um questionamento se utiliza de um meio retrogrado para calar”, afirmou Valdice.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sindjornal), Izaías Barbosa, disse não admitir este tipo de agressão a jornalistas. E avisou marcará audiência com o secretário de Segurança Pública (SSP), coronel Lima Júnior, para tratar a respeito da integridade física da jornalista e de sua família na cidade de Capela.

“Estes profissionais estão apenas cumprindo o seu papel que é ser voz da sociedade, se o gestor que trabalha para o povo não quer ser notícia negativa, que ele trabalhe para isto”, disse o presidente do Sindjornal. (Com informações da Tribuna Independente)

Reportar Erro