Mais Lidas

De olho no preço

Pesquisa aponta que 45% dos consumidores priorizam os genéricos

Entre os motivos da preferência, estão a confiança na eficácia do produto e o preço mais em conta

acessibilidade:
Serra instituiu no País remédios genéricos, mais baratos, inclusive com a quebra de patentes. Foto: EBC

De acordo com os dados da pesquisa Análise do Perfil de Compra dos Shoppers em Farmácias – 2018, na hora de ir a uma farmácia, 45% dos brasileiros priorizam a compra de medicamentos genéricos e 55% compram os de marcas.

Para o presidente do Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC), Edison Tamascia, no início havia uma desconfiança sobre a qualidade e eficiência desse tido de remédio, algo que foi superado. “Os genéricos já venceram uma desconfiança inicial e natural que enfrentaram no mercado e hoje já fazem parte das opções de escolhas dos consumidores, eles possuem um grande potencial competitivo por causa da economia que ele proporciona, sendo que os preços são fundamentais na escolha”.

A pesquisa constatou que o consumidor dá prioridade ao preço, ao invés da marca na hora de adquirir medicamentos,  33% dos consumidores, acabaram comprando produtos diferentes do objetivo inicial e metade desses clientes buscavam economia 50%.  “Essa pesquisa comprova uma característica muito comum nos brasileiros que é não ser fiel ao produto que foi procurar em uma farmácia, ouvindo a indicação dos farmacêuticos. O principal fator de intercambialidade é o preço, demonstrando que o brasileiro se encontra mais preocupado com o bolso”, explica o presidente da Febrafar.

A pesquisa foi realizada pelo Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC), em parceria com a Unicamp e com o Instituto Axxus. Foram entrevistados quatro mil consumidores  durante as compras em farmácias de todo o país. A pesquisa foi realizada por 152 entrevistadores.