PEC antidrogas

Parecer cita interesse econômico por trás de leniência com uso de drogas

Ricardo Salles (PL-SP) vai manter texto incluindo penas restritivas aos usuários de drogas.

acessibilidade:
Dep. Ricardo Salles (PL-SP). Crédito: Agência Câmara

O deputado Ricardo Salles (PL-SP) confirmou ao Diário do Poder que vai manter, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o parecer da PEC antidrogas estendendo o escopo de penas restritivas aos traficantes para usuários. Ele também confirma o acordo para a votação da matéria nesta terça-feira (4). Mas acrescenta que, em virtude da divergência entre oposição e governo a respeito do tema pode ocorrer um pedido de vistas.

Ter empatia e tolerância com o usuário é tornar socialmente aceito o uso dessas substâncias e fechar os olhos para um enorme problema que só se agrava a cada dia”, diz o parecer do deputado, que deu entrada no sistema da CCJ, nesta terça-feira (3).

O parlamentar também denúncia no relatório suposta submissão “a modismos e interesses econômicos de fortes lobbies pró liberação, o qual encontra respaldo também em correntes de produção acadêmica e cobertura midiática”.

Para Salles é incoerente com a Carta Magna, a destinação sobre tráfico e uso de entorpecentes. “Há, portanto, grande responsabilidade dos usuários sobre os elevados índices de criminalidade já que contribuem ativamente para a manutenção desse sistema, o que leva ao cometimento de outros crimes mais graves, tais como: tráfico de armas, prostituição, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e homicídios”, acrescenta.

 

Reportar Erro