Veja detalhes da repartição

Olavo de Carvalho exclui filha esquerdista de testamento

Primogênita de guru do bolsonarismo, que morreu em 2022, foi a única dos oito descendentes do escritor a não ser contemplada em herança

acessibilidade:
Heloísa de Carvalho rompeu com o pai em 2017 e, desde então, e era crítica dos seguidores das ideias do escritor.

A primogênita do escritor Olavo de Carvalho, Heloisa de Carvalho, foi a única dos oito filhos do filósofo e guru bolsonarista a ser excluída do testamento do autor, que morreu em 2022 aos 74 anos. 

Desafeto do pai desde 2017, Heloísa ficou conhecida por ter posicionamento político contrário ao pai, chegando a ser filiada ao Partido dos Trabalhadores.

A relação entre os dois foi marcada por ataques mútuos, incluindo ações na Justiça. Em 2017, por exemplo, Olavo prestou uma queixa-crime contra Heloísa acusando-a de integrar uma organização criminosa apoiada por partidos de esquerda para destruir a sua reputação. O caso foi arquivado.

Heloisa ficou conhecida após a publicação da “Carta aberta a um pai”, e posteriormente do livro “Meu pai, o guru do presidente: a face ainda oculta de Olavo de Carvalho”. Nas publicações ela relata parte da infância dela e dos irmãos, período marcado pela ausência do pai.

Para Roxane de Carvalho, última mulher de Olavo e com quem o escritor mantinha união estável há quase 20 anos, estão garantidos direitos sobre as duas residências adquiridas nos Estados Unidos – uma na cidade de Petersburg e outra na cidade de Noth Dinwiddie, ambas na Virginia. A ex-companheira também tem reservados 30% dos direitos autorais sobre as obras do conservador.

Já Leilah e Pedro Luiz de Carvalho, frutos da união com Roxane, garantiram fatias maiores se comparados aos demais irmãos – Olavo teve oito filhos no total. Além de percentuais sobre as residências, cada um tem 20% sobre os direitos autorais.

Os demais filhos são beneficiados com frações das possíveis receitas sobre as intelectualidades de Olavo: Maria Inês 90,55), Luiz (0,3%), Davi (0,3), Tales (0,3%) e Percival (0,3%). Também sobrou 0,3% dos direitos autorais para seu  irmão Luiz Paulo de Carvalho.

Reportar Erro