Mais Lidas

"Segurança máxima"

Mais de 100 detentos fogem de presídio em João Pessoa

Criminosos derrubaram portão principal do presídio e trocaram tiros com policiais e agentes

acessibilidade:
PM é baleado na cabeça e está em estado grave; 22 presos já foram recapturados. Foto: Reprodução/TV Globo

Pelo menos 105 presos conseguiram fugir Penitenciária de Segurança Máxima Romeu Gonçalves Abrantes, o PB1, em João Pessoa, na madrugada desta segunda-feira, 10. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária da Paraíba, Até as 7h50, 33 detentos haviam sido recapturados.

De acordo com informações da PM, cerca de 20 homens chegaram em quatro carros e dispararam várias vezes contra as guaritas, o alojamento e o portão principal, de mais de 5 metros de altura, que foi derrubado após uma explosão. Durante a fuga, houve confronto com policiais e agentes penitenciários, e um tenente da PM foi baleado na cabeça. Ele está internado em estado grave.

O principal objetivo da ação seria o resgate de quatro integrantes de uma quadrilha que explode caixas-eletrônicos e carros-fortes com atuação em várias regiões do Brasil.

Eles haviam sido presos no mês passado, em Lucena, Região Metropolitana de João Pessoa.

A polícia investiga ainda se os criminosos realizaram ação simultânea para bloquear a rodovia estadual PB-108 — o tenente foi baleado na estrada.

O presídio estava com sua lotação excedida em 4% —com capacidade para 654 presos, estava com 680.

Em 2011, o PB-1 foi um dos dois presídios da Paraíba em que detentos fizeram uma greve de fome por alguns dias devido a regras de entrada de alimentos e para pressionar pela saída do à época novo diretor da prisão, Sérgio Fonseca, considerado linha-dura. Fonseca é hoje o secretário da Administração Penitenciária paraibana.​

Naquele ano, denúncias de tortura e maus-tratos nos presídios da Paraíba motivaram visitas de comissões de direitos humanos às prisões.

Reportar Erro