Escândalo do arrozão

Vice da FPA defende investigação do presidente da Conab

Domingos Sávio (PL-MG) sugere ação do TCU e da PGR sobre o caso.

acessibilidade:
Dep. Domingos Sávio (PL-MG). (Foto: Agência Câmara)

O vice-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) na Câmara dos Deputados, Domingos Sávio (PL-MG), defende que a exoneração do Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, não equaciona o problema da suspeita de fraudes sobre o leilão do arroz promovido pelo governo federal. O parlamentar sugere investigação do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Procuradoria Geral da República (PGR) sobre o caso.

Em entrevista ao Diário do Poder, o parlamentar cravou que “o presidente da CONAB precisa ser investigado também”. Ele recorda que o leilão do arroz foi instituído em um contexto de calamidade sobre o Rio Grande do Sul. “Uma tentativa de levar vantagem em cima do dinheiro público. Aproveitando que o regime urgência traz aprovações com facilidade, para comprar o que não precisa e ainda prejudicar arrozeiros do Rio Grande do Sul”.

O deputado também prega uma fiscalização ainda mais rigorosa sobre os procedimentos adotados pela Companhia Nacional do Abastecimento.  “O tribunal de Contas da União precisa se debruçar sobre as compras da Conab nos últimos meses. Chega a ser revoltante e repugnante a tentativa de levar vantagem em cima do dinheiro público. É grave e criminoso”.

Sávio é signatário da ‘CPI do Arrozão’ proposta pelo deputado Luciano Zucco (PL-RS). “Eu entendo que a CPI seria adequada para que nós possamos cumprir o nosso papel de fiscalizar. Não é achar que porque um secretário foi exonerado esse problema que o problema está resolvido. É preciso investigar não só o Leilão, mas outras compras da CONAB, que concentram volumes vultuosos”.