São Paulo

Propronente da CPI das ONGs quer afastamento de Júlio Lancellotti

Vereador Rubinho Nunes diz que permanência do padre em atividades religiosas é 'desrespeito'.

acessibilidade:
A expectativa é que a comissão seja de fato aberta, uma vez que a maioria dos outros vereadores se mostrou favorável à sua criação (Foto: Rovena Rosa/Ag. Brasil)

O vereador de São Paulo, Rubinho Nunes (União Brasil-SP), proponente  da CPI das ONGs, que pretende investigar suposto vínculo do padre Júlio Lancellotti com o financiamento de entidades que se retroalimentam do funcionamento da Cracolândia, em São Paulo, disse que vai formalizar nesta terça-feira, (06), um pedido de afastamento do pároco.

O argumento do vereador é que o afastamento se faz necessário após vir à tona suposto caso de abuso sexual por parte do padre.  “Um desrespeito à imagem da igreja e aos fiéis”, afirmou o parlamentar. 

Nas redes sociais, o vereador se manifestou dizendo quer um sujeito sendo investigado por abusos sexuais não pode continuar exercendo as funções como Padre no curso da investigação. Além de prejudicar a aferição da verdade, cria macula à fé, aos cristãos e à Santa Igreja. Pedirei à Arquidiocesana o imediato afastamento de Júlio Lancelotti de suas funções”.

Rubinho se reúne hoje com o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Milton Leite, para defender que os trabalhos de investigação sobre as ONGs, no parlamento, devem seguir, independente da denúncia contra Lacellotti, que também é ativista político ligado ao PT e ao PSOL. O parlamentar acrescenta que o fato denunciado contra o religioso reforça só reforça “a necessidade de investigação”.

Reportar Erro