Indústria da censura

Oposição vai à Corte Interamericana denunciar abuso de autoridade no Brasil

Delegação de senadores e deputados recorre a instâncias internacionais

acessibilidade:
Delegação de parlamentares vai aos EUA denunciar 'regime autoritário' no Brasil (Foto: instagram)

Uma delegação de deputados e senadores está nos Estados Unidos para denunciar à Corte Interamericana de Direitos Humanos a atual circunstância política do Brasil.

“Estamos na tentativa de que o mundo saiba que o Brasil vive um abuso pleno de autoridade. Depois da aprovação da Reforma Tributária formou-se um cerco ideológico. Viemos denunciar a censura que estamos vivendo, não mudamos de um presidente para outro, mas entramos num regime autoritário”, afirmou o senador Magno Malta (PL-ES).

O parlamentar também destacou que as denúncias vão detalhar  a ‘interferência’ de um poder no outro.

 

Além do capixaba, a delegação é formada pelos parlamentares Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Gustavo Gayer (PL-GO), capitão Alberto Neto (PL-AM), Altineu Cortês (PL-RJ), Júlia Zanatta (PL-SC), delegado Ramagem (PL-SC) e Jorge Seif (PL-SC).

Recentemente a Declaração de Westminster, pela liberdade de expressão, assinada por 141 personalidades, de 21 países, entre ativistas, acadêmicos, jornalistas, escritores e artistas, citou o legislativo da Alemanha e o Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil como entidades responsáveis por criminalizar “o discurso político” e fomentar a “indústria da censura’’.