Lacração

Lira pede revisão de parecer por arquivamento de ação contra Felipe Neto

Defesa argumenta interesse comercial do influenciado ao atacar presidente da Câmara

acessibilidade:
Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. (Foto: agência Câmara)

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), pediu revisão do parecer do Ministério Púbico Federal (MPF) que recomendou o arquivamento do processo movido por ele contra o influenciador Felipe Neto.

No corpo da peça em que Lira pede revisão sobre a recomendação do MPF, advogados destacam que há um procedimento investigativo instaurado pela Polícia Legislativa da Câmara contra o influenciador, apontando gravidade nas palavras proferidas sobre o presidente da Câmara.

“Conforme restou demonstrado pela Polícia Legislativa, no
relatório final, o indiciado Felipe Neto Rodrigues Vieira, influenciador digital e empresário, durante participação em simpósio realizado nas dependências da Câmara dos Deputados no dia 23/04/2024, em que se discutia a regulamentação das plataformas digitais, proferiu as seguintes palavras: “É
POSSÍVEL QUE A GENTE ALTERE A PERCEPÇÃO DE UM PROJETO DE LEI 2630, QUE, INFELIZMENTE, FOI TRITURADO PELO EXCREMENTÍSSIMO ARTHUR LIRA”.

O documento afirma que a conduta conduta do investigado foi
praticada com o dolo específico de injuriar e ofender a dignidade da vítima, caracterizando crime de injúria.

A defesa de Lira também argumenta que o influenciador incorreu em prática criminosa, com intuito comercial.

“A fala de Felipe Neto repercutiu negativamente em todos os
canais digitais, fincando entre os assuntos mais comentados das plataformas das redes sociais e no Google”, detalham os advogados.

E acrescentam: “[…] No período em que ocorreu o fato, o termo injurioso utilizado por Felipe Neto alcançou a popularidade máxima”.