Segurança Pública

A portas fechadas, Senado empareda governo sobre fuga em Mossoró

Oitiva com o secretário nacional de Políticas Penais atendeu a requerimento do senador Sérgio Moro (União-PR)

acessibilidade:
Os senadores Flávio Bolsonaro (PL-RJ); Hamilton Mourão (Republicanos-RS); e Sergio Moro (União-PR). (Foto:Geraldo Magela/Agência Senado)

A portas fechadas, o Senado discutiu nesta terça-feira (27), a fuga de dois presos do presídio de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A sessão atendeu a requerimento do senador Sérgio Moro e ouviu o secretário nacional de Políticas Penais, André Garcia, na Comissão de Segurança Pública.

Entre os questionamentos ao representante do governo Lula, estiveram o andamento das investigações e a suposta facilitação da fuga.

Um aceno do Executivo mediante as pressões do Parlamento por reforço na segurança de presídios federais, será, de acordo com a audiência, o encaminhamento de um projeto de Lei para reestruturar a carreira dos policiais penais federais e a criação de ‘muralhas’ em presídios.

Após a reunião, Moro reforçou a importância do sigilo sobre os demais assuntos discutidos.

“Não é o caso de ficar falando quantas câmeras estavam apagadas naquele momento, quantas foram corrigidas, as placas de aço que eventualmente foram utilizadas para evitar novas fugas. São informações sensíveis e ninguém quer passar para criminosos fugirem da prisão”, alegou Moro sobre o sigilo da reunião, ponderou.

Reportar Erro