Sanha em arrecadar

Vice da CCJ antecipa voto contra o retorno do DPVAT

O Senador Marcos Rogério (PL-RO) lembrou que o seguro já protagonizou escândalos financeiros.

acessibilidade:
vice-presidente da CCJ, senador Marcos Rogério (PL-RO). (Foto: agência senado)

O vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Marcos Rogério (PL-RO), disse ao Diário do Poder que vai votar contra o projeto de lei, que tem como relator na comissão, o líder do governo Jaques Wagner (PT-BA), e retorna a existência do seguro DPVAT para automóveis, além de autorizar a antecipação de R$15 bilhões em arrecadação aos cofres do governo federal.

O senador lembrou que o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro acabou com o seguro DPVAT, uma vez que o seguro foi alvo de fraudes que geraram aos cofres públicos o rombo de pelo menos R$2,1 bilhões em dez anos.

“O governo federal recorre ao aumento de impostos, a taxação da população de forma perversa, na contramão do que prega um governo que se diz socialista, penaliza os mais pobres”, ponderou. 

Rogério, que antecipou voto contra a matéria,  é autor de emenda para que, em caso de aprovação, o governo Lula  não consiga antecipar os R$15  bilhões em cima da volta do imposto, e para que esse crédito seja incorporado à desoneração da folha de pagamentos. A CCJ vai analisar a matéria na manhã desta terça-feira (7), dando encaminhamento ao plenário da Casa Alta do Congresso Nacional.

Reportar Erro