Parlamento na Berlinda

Senador atribui à omissão de Pacheco ofensiva do governo

Izalci Lucas (PL-DF) aponta “preocupação do presidente do Senado em não radicalizar” contra o Planalto.

acessibilidade:
Senador Izalci Lucas (PL-DF) - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado.

O senador Izalci Lucas (PL-DF) avaliou o cenário  de desentendimentos entre Congresso Nacional e o  Governo Lula, em declaração ao Diário do Poder, após o ajuizamento de ação contra a Lei que desonerou 17 setores da economia por parte do Executivo, resultando em liminar que bloqueou os efeitos da deliberação do Congresso.

Para ele, a ofensiva do governo sobre o Legislativo é resultado da leniência do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que não honrou compromisso feito com os líderes da Casa Alta pela devolução da Medida Provisória apresentada pelo Planalto em colisão com a decisão do Parlamento.

“Essa preocupação do presidente em não radicalizar, não tomar posição mais firme, deu espaço para que eles acabassem fazendo isso”, afirmou.

E completou: “A cada vez em que eles tomam uma atitude, e o Congresso não reage, a gente vai perdendo espaço”.

A desoneração da folha de pagamentos para 17 setores da economia é questão polêmica que azedou o relacionamento entre os poderes desde o fim do último ano, quando o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou Medida Provisória para desfazer o consenso estabelecido entre Câmara e Senado sobre a matéria. A afirmação de que a MP seria devolvida veio em seguida.

“Nós fizemos uma reunião extraordinária de líderes, onde ficou acordado que a Medida Provisória seria devolvida. Rodrigo Pacheco tinha que ter devolvido”, cravou.

Reportar Erro