Somente na parte interna

PF reforçará segurança no retorno de Bolsonaro no aeroporto de Brasília

Flávio dino descartou atuação em área externa ao alegar que corporação não tem competência legal para atuar nos arredores do local

acessibilidade:
Ex-presidente da República, Jair Bolsonaro, durante deslocamento para entrega de residenciais, em Maceió, em junho de 2022. Foto: Alan Santos/PR/Arquivo

Jair Bolsonaro (PL) deve retornar ao Brasil nesta quinta-feira, 30, e contará com segurança reforçada na sua chegada. O voo do ex-presidente está previsto para desembarcar em Brasília às 7h10 e muitos apoiadores já confirmaram que vão recepcionar o político no saguão. Por conta disso, todas as forças de segurança do DF estarão a postos desde a madrugada, já às 4h.

A Polícia Militar do DF terá mais de 500 policiais no esquema de segurança, do lado de fora do Aeroporto Presidente Juscelino Kubitschek, no policiamento ostensivo. A PM também fechará a Esplanada dos Ministérios à meia-noite, sete horas antes de o voo com o ex-presidente chegar.

Do lado de dentro do aeroporto, a segurança ficará por conta da Polícia Federal. O saguão também terá esquema da PF, com reforço de agentes.

Na segunda-feira, 27, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, encaminhou ofício ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, assim como à Polícia Federal e ao governo do Distrito Federal, para que a segurança no aeroporto de Brasília seja intensificada para a chegada do ex-presidente.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, disse, na terça-feira, 28, em audiência na Câmara dos Deputados, que autorizou um contingente extra da PF para atuar no Aeroporto Internacional de Brasília, no retorno de Bolsonaro ao Brasil.

Ele foi questionado pelo deputado Carlos Jordy (PL-RJ), que defendeu que a corporação faça segurança também nos arredores do aeroporto. Dino alegou que o órgão só pode atuar na preservação aeroportuária.

“A PF não pode fazer a segurança externa do aeroporto. Se o senhor ler a Constituição verá que a PF faz a segurança aeroportuária”, respondeu o ministro da Justiça durante audiência. “A PF agirá de acordo com a lei. Não posso aceitar seu pedido e desrespeitar a lei”, acrescentou.

Jair Bolsonaro está nos Estados Unidos desde dezembro de 2022, quando viajou dias antes do término de seu mandato.

A PM decidirá se o comboio de Jair Bolsonaro precisará de escolta ao sair do aeroporto. Isso porque não está definido se ele sairá pela base militar ou pelas vias habituais do aeroporto. E dependerá ainda de quantos manifestantes estiverem presentes, do calor da situação, se haverá manifestação.

A PM terá no esquema policiais do Comando de Policiamento de Trânsito, que inclui os batalhões Rodoviário e o de Trânsito; o Batalhão de Operações Especiais (Bope); o Batalhão de Patrulhamento de Choque (BPChoque), as Tropas Convencionais da Área Central; O Batalhão com Cães (BPCães); e a Cavalaria.

No aeroporto, vão esperar por Bolsonaro a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, Valdemar e o ex-ministro Braga Neto.

Reportar Erro