Mais Lidas

Sumiu com R$ 1,5 milhão

Justiça condena decorador caloteiro a indenizar vítimas

Netto sumiu com R$ 1,5 milhão de clientes; foi para a França

acessibilidade:

O decorador Chrisanto Lopes Galvão Netto foi condenado a pagar indenização por danos morais e materiais a cinco casais que iriam casa e contrataram seus serviços. Ele não cumpriu o contrato. A juíza da 25ª Vara Cível de Brasília pediu a restituição dos valores pagos além de multa contratual. Netto é acusado de dar o calote em pelo menos 70 casais entre 2015 e 2016.

As vítimas pagaram valores entre R$ 23 mil e R$ 25 mil. O decorador fechou as portas da empresa e avisou aos noivos que não teria condição de cumprir os contratos. Dias depois deixou o país com destino a Paris, na França.

Na decisão, a juíza afirma que a conduta do réu ultrapassou o ‘mero dissabor’ por ter causado às vítimas ‘relevante angústia’ com relação ao sonhado dia do casamento. ‘A celebração do casamento é um momento marcante na vida a dois que se inicia, permeado por muitas expectativas e felicidade. Ter este momento abalado é fonte de grande transtorno e frustração e viola seu direito de personalidade’, disse

Ainda há contra Netto outros processos. Em quatro deles, foi determinado o bloqueio dos valores que somam R$ 103.034,60. O prejuízo, no entanto, chegou a R$ 1,5 milhão.

Crime

O decorador sumiu com cerca de R$ 1,5 milhão de 70 noivas e de duas comissões de formatura. Depois de fechar as portas da empresa, em meados de maio de 2015, Netto teria embarcado para a França. Ele chegou a comunicar a algumas noivas que teria de recusar o trabalho e que devolveria a quantia paga, mas isso não ocorreu.