Mais Lidas

Operação Drácon

Justiça aceita denúncia do Ministério Público e torna distritais réus

Se forem condenados podem pegar até 25 anos de prisão

acessibilidade:

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) aceitou a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) contra os deputados distritais Celina Leão (PPS),  Bispo Renato (PR), Cristiano Araújo (PSD), Raimundo Ribeiro (PPS) e Júlio César (PRB), agora eles são réus na Operação Drácon, acusados de corrupção passiva.

Os distritais serão investigados sobre a participação em um esquema de desvios de recursos dentro da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). O grupo aparece em áudios feitos pela distrital Liliane Roriz (PTB) negociando uma sobra parlamentar de R$ 30 milhões. Inicialmente o valor iria para o GDF  reformar escolas públicas.

Entretanto, segundo a denúncia, os deputados modificaram um projeto e realocaram a verba para pagamentos de serviços vencidos em UTIs. Em troca, receberiam propinas das empresas beneficiadas. 

Agora serão ouvidas as testemunhas de defesa e acusação. Os distritais tambem serão ouvidos antes do julgamento final. Outras provas podem ser apresentadas, tanto por parte dos réus como do Ministério Público.

Se os deputados distritais forem condenados eles perdem seus mandatos e poderão pegar até 24 anos de prisão, além do pagamento de multas.

A Drácon foi deflagrada pela Polícia Civil e pelo MPDFT em agosto do ano passado. A denúncia do MPDFT foi apresentada em novembro.

Durante o dia houveram manifestações, contra e a favor dos distritais nos arredores do TJDFT.

 

Reportar Erro