Mais Lidas

UnDF

Ibaneis sanciona lei para criação da Universidade do Distrito Federal

Expectativa é que as aulas comecem a partir do ano que vem

acessibilidade:
O governador Ibaneis Rocha mostra a lei que ele assinou, criando a universidade - Foto: Agência Brasília.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha sancionou nesta quarta-feira (28), a lei de criação da Universidade do Distrito Federal Jorge Amaury (UnDF), serão investidos R$ 200 milhões pelos próximos quatro anos. “A partir do ano que vem, começam as aulas dos cursos. Esperamos que a universidade cresça em todo o DF, ajudando principalmente as famílias mais carentes”, destacou Ibaneis.

Agora o texto segue para Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). Ibaneis também anunciou a realização de concurso público para 3,5 mil profissionais, a cessão de um imóvel no Lago Norte para funcionamento inicial da universidade e o projeto para construção de um prédio na área do Parque Tecnológico (Biotic), que também será destinada às instalações acadêmicas.

Os cursos da UnDF  estão previstos para as áreas das Ciências da saúde e humanas, Cidadania e meio ambiente, Gestão governamental de políticas públicas e de serviços, Educação e magistério, Letras, artes e línguas estrangeiras modernas, Ciências da natureza e matemática, Educação física e esportes, Segurança pública e defesa social, Engenharia e áreas tecnológicas de setores produtivos e Arquitetura e urbanismo.

O ingresso deve ser nos moldes da Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs) e da Escola Superior de Gestão (ESG), uma vez que ambas serão integradas ao campus. Logo, 40% das vagas da nova universidade serão destinadas a alunos que concluíram a educação básica integralmente na rede pública. A cota racial, prevista na Lei Distrital nº 3788/2006, também será atendida. Outras possibilidades de admissão são por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do governo federal.

Durante a cerimônia, o governador ressaltou que o ato representa um investimento para o DF. “Quando se trata de educação você não está gerando despesa, está gerando riqueza e é essa riqueza que eu quero para a população, em especial os mais pobres”.

Ibaneis também se manifestou sobre o assunto nas redes sociais.