Decretos bastam

Ibaneis Rocha rejeita ideia de utilizar “passaporte da vacina” contra Covid-19 no Distrito Federal

Ibaneis ressaltou que todas as medidas necessárias para o combate a propagação do novo coronavírus estão sendo cumpridas

acessibilidade:
Governador foi enfático: "Não quero passaporte da vacina no Distrito Federal" Foto: Renato Alves

A ideia de implementação de um aplicativo para controlar e conter a entrada de pessoas não vacinadas,  contra a Covid-19, em estabelecimentos comerciais, assim como em eventos, foi descartada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha.

A negativa ocorreu nesta terça-feira (28), na região administrativa de São Sebastião, durante um evento de lançamento do programa de qualificação profissional, Renova-DF.

Ao ser questionado por jornalistas, Ibaneis ressaltou que todas as medidas necessárias para o combate a propagação do novo coronavírus, estão sendo cumpridas e já estão contidas nos decretos que vigoram do DF. “Não quero passaporte da vacina no Distrito Federal. As restrições são aquelas dos decretos, que dizem respeito à comprovação da vacina para entrar em shows e eventos. Mas passaporte para entrar nos restaurantes e ambientes, não quero implantar”.

Afirmativa vai de encontro com o que foi dito pelo subsecretário de Vigilância em Saúde, Divino Valero, ao revelar na semana passada, que técnicos da Pasta já estudavam como ocorreria o  desenvolvimento do aplicativo. A ideia era utilizar a tecnologia para fornecer um espécie de comprovante digital, com a unificação das informações do ConecteSUS, plataforma criada pelo Ministério da Saúde.

No DF a comprovação da imunização completa tem ocorrido com apresentação do cartão de vacinação, junto com o RG.

O uso de aplicativos para controlar as pessoas vacinadas, ou não, ocorre em diversas cidades pelo mundo, como são os casos de Nova York, nos Estados Unidos e de Paris, na França. No Brasil, as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo também aderiram.

 

Reportar Erro