'Imbecil'

Guilherme Boulos vira réu por ofender Abraham Weintraub

Em uma postagem feita em 2021, Guilherme Boulos associou o então ministro da Educação ao atraso da vacinação contra Covid-19

acessibilidade:
Deputado federal Guilherme Boulos (Psol-SP). (Foto: Agência Câmara)

O deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP) passou a ser réu em uma ação criminal apresentada por Abraham Weintraub, que foi ministro da Educação de Jair Bolsonaro. Ambos são pré-candidatos à prefeitura de São Paulo.

A queixa-crime foi feita em fevereiro de 2021 após Boulos chamar Weintraub de “imbecil” nas redes sociais:

“O Brasil corre o risco de ficar sem vacinas suficientes por falta de insumos da China por causa de Jair Bolsonaro e três imbecis: Dudu Bananinha (referindo-se a Eduardo Bolsonaro), Ernesto Araújo (ex-ministro das Relações Exteriores) e Weintraub”, escreveu.

O ex-ministro disse à justiça que Boulos lhe fez uma “agressão gratuita, sem qualquer fundamento, ofendendo lhe de um modo inadmissível”.

A defesa de Guilherme Boulos argumentou que o termo “imbecil” costuma ser usado pelo próprio Weintraub para se referir a seus adversários. Segundo o psolista, o ex-ministro da educação ficou famoso pelos seus erros de português e falas ofensivas.

A juíza Daniela Conceição, ao aceitar a denúncia contra Boulos, disse haver indícios suficientes para a abertura da ação penal e marcou o julgamento para o dia 19 de novembro de 2024.

Reportar Erro