Mais Lidas

Escândalo no DF

Gravação de conversas comprometem deputados distritais

Liliane Roriz vai à forra gravando os deputados distritais

acessibilidade:

A deputada distrital Liliane Roriz (PTB) gravou áudios que comprometem a presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PPS), em meio à crise na política do DF por conta de denúncias de esquema de propina que envolvem integrantes da Mesa Diretora. Em um desses áudios, Celina chama funcionários de seu gabinete de “analfabetos”.

Os áudios começaram a ser divulgado pouco depois que a deputada renunciou à vice-presidência da Câmara.  Ao Ministério Público do DF, a distrital disse que há um suposto esquema de desvio de recursos na Saúde envolvendo deputados.

Os grampos começaram no fim do ano passado por conta de uma sobra orçamentária no valor de R$ 30 milhões. Inicialmente, os recursos iriam para o GDF , que reformaria escolas públicas. Mas, a modificação em um projeto realocou o valor para a Saúde. Seriam pagamentos de serviços vencidos em UTIs.

Áudios

Celina Leão, sem saber que estava sendo gravada, assume que distribuiu cargos de confiança para quem votou nela. E diz ainda que alguns servidores não costumam bater o ponto, dando a entender que se tratam de “fantasmas”.

Em uma das conversas, Celina comenta com Liliane um esquema em uma licitação. “A empresa que ganhou a licitação foi a Confederal, nós vamos ter lá 17 vagas, vou dar uma pra cada um que votou em mim, vai sobrar uma (…) Tô te contando agora, vou dar, tenho que dar pra galera que tá comigo, é instrumento de poder, é o que eu tenho para dividir com as pessoas que estão no nosso projeto político.”

A presidente da Casa diz anda que se os parlamentares não “se protegerem”, a “sacanagem rola solta”. “Fiz isso com todo mundo, até com Chico Vigilante, de segurar três pedidos de informações dele pro Ministério Público, a resposta quem fez foi nem eu, foi o chefe de gabinete dele, mesmo depois dessa confusão inteira”, disse. 

Em outro trecho, Celina diz que o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) “fuma maconha demais”. Os áudios foram vazados na noite de ontem (17). Em nota, o governador disse que não vai comentar o grampo e disse: “o próprio conteúdo da conversa demonstra a qualidade dos interlocutores”.