Crise Econômica

GDF fecha as contas em 2015 com decréscimo

Principal motivo é o mau momento no cenário econômico

acessibilidade:

Conforme informou a Secretaria de Fazenda o Governo do Distrito Federal teve em 2015 arrecadação tributária de R$ 13.659 bilhões, o principal motivo seria o mau momento no cenário econômico.

O valor é inferior ao registrado em 2014, que corrigido pela inflação, o valor é de 4,5% equivalente a R$ 664,2 milhões.

A maior fonte tributária do DF teve o maior impacto o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), teve queda de R$ 689,1 milhões se comparado com 2014. No ano passado ele representou 47,5% da arrecadação.

Também apresentaram queda real de arrecadação os tributos, Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), Simples, Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Taxa de Limpeza Pública (TLP).  Os números estão sempre considerando a correção dos valores de 2015 quanto de 2014 pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Houve aumento de arrecadação nos seguintes impostos, Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCD), dívida ativa e outras taxas. Entretanto não conseguiram compensar a queda dos outros tributos, especialmente do ICMS.

O IPVA teve aumento de R$ 29,8 milhões. O Refis também ajudou no incremento de arrecadação. Em um total de cerca de cem mil negociações, R$ 1.645.410.314,65 em dívidas foram renegociados. Segundo a Secretaria de Fazenda, R$ 523.891.084,74 foram pagos à vista, enquanto o restante, R$ 1.121.519.229,91 foi parcelado.

Foto: Agência Brasília

Reportar Erro