Combate ao mosquito

Força-tarefa faz varredura para combater a dengue na Esplanada dos Ministérios

A operação do governo local soma-se à ação do governo federal

acessibilidade:

A Esplanada dos Ministérios recebe, de segunda-feira (1º) a sexta-feira (5), uma força-tarefa do governo de Brasília para combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, das febres chikungunya e amarela e do zika vírus. Agentes da Vigilância Ambiental e da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, vinculada à Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, juntaram-se a militares do Corpo de Bombeiros e a servidores do Serviço de Limpeza Urbana para fazer varredura em todos os prédios e informar à população sobre formas de prevenção.

A operação do governo local segue até o Palácio do Planalto e soma-se à ação do governo federal. Na sexta-feira (29), os prédios dos Ministérios da Integração Nacional, do Turismo, de Minas e Energia, da Defesa e da Saúde, bem como os anexos, receberam visita de bombeiros e de agentes ambientais. A ação esteve a cargo de 20 militares do Distrito Federal.

De acordo com o gerente de Atividades de Controle do Aedes aegypti, da Secretaria de Saúde, Petrônio da Silva Lopes, regularmente dois vigilantes percorrem os prédios da Esplanada em busca de possíveis focos: "Em novembro e em dezembro do ano passado fizemos uma ação maior, como esta que ocorre agora, justamente para prevenir o aparecimento do mosquito". Segundo Lopes, a iniciativa foi um pedido da Presidência da República.

Administrador do prédio que abriga os Ministérios da Cultura e do Meio Ambiente, Francisco Gomes ressalta que os servidores têm feito a sua parte."Vasos de planta e ralos são as nossas maiores preocupações", contou. As coberturas dos edifícios também são vistoriadas, pois, após as chuvas, costumam acumular água.

Ação compartilhada
Os vigilantes ficaram encarregados de vistoriar reservatórios e depósitos de água, lajes, calhas, lixeiras, jardins, banheiros desativados, sacos de lixo e até copinhos de plástico que possam acumular água parada. Enquanto isso, os militares e os agentes da Defesa Civil distribuem panfletos informativos sobre formas de vencer a batalha contra o Aedes aegypti e sobre os sintomas das doenças.

Nesta segunda-feira, as equipes não identificaram focos ou larvas do mosquito, mas, por precaução, aplicaram o larvicida diretamente em pontos propícios ao desenvolvimento do inseto.

A força-tarefa conta com cerca de 20 servidores, entre agentes e militares. O SLU destacou 22 garis, que atuam na área diariamente (de segunda a sábado) — sendo 16 de varrição e seis de catação. A autarquia reforçou o trabalho com mais dez homens, que executam catação minuciosa para coletar pequenos resíduos com água.

Noventa e oito garis retiraram, no último sábado (30), 2,5 toneladas de resíduos da Esplanada dos Ministérios. Uma equipe também pintou meios-fios. Nessa operação, o SLU também removeu latas. O Corpo de Bombeiros Militar também orienta os lavadores de carro a guardar latas e tonéis, evitando que os recipientes fiquem expostos ao tempo.

O governo federal promove, desde sexta-feira (29), uma mobilização nacional dos servidores públicos federais. O objetivo é engajá-los na campanha de enfrentamento ao Aedes aegypti. A ação ocorre em ministérios, autarquias, agências e demais órgãos vinculados.(Agência Brasília)

Reportar Erro