Mais Lidas

Urbanismo

Finalmente haverá alternativas paralelas à Av. Fernandes Lima

Fernandes Lima terá vias paralelas de mão única nos dois sentidos

acessibilidade:

Quem transita diariamente pela Avenida Fernandes Lima, certamente já deve ter enfrentado um grande congestionamento em horários de pico no trânsito. Não é de hoje que o cidadão maceioense sofre com o tráfego intenso no principal corredor de transporte público da capital alagoana.

A implantação de eixos viários paralelos à avenida foi a solução encontrada pela equipe de Planejamento da Secretaria de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), liderada pelo engenheiro Mosart Amaral.

Os eixos terão o formato de binários – duas vias paralelas, de mão única e sentido contrário – e servirão como vias de escoamento do trânsito para a otimização do tráfego na área, medida que, segundo Amaral, vai facilitar significativamente a vida e a rotina de quem depende da Fernandes Lima como principal via de acesso.

“Estamos trabalhando ininterruptamente para melhorar a mobilidade urbana da Grande Maceió. É desejo do governador Renan Filho investir veementemente na capital. Com a criação dos eixos paralelos, a população terá não só a tão saturada Avenida Fernandes Lima como o trajeto, mas também outras duas rotas alternativas”, ressaltou Mosart Amaral.

A obra compreende dois eixos viários: o Eixo Quartel e o Eixo Cepa. O Eixo Quartel terá cerca de seis quilômetros de cumprimento, com início na Rua Marieta Lages, no Farol, estendendo-se até a Rua Ranildo Cavalcante, na Gruta, e configurando-se como uma alternativa de circulação viária no sentido sul/norte e leste da região Metropolitana de Maceió.

O Eixo Cepa, por sua vez, terá cerca de nove quilômetros de extensão. O binário tem início entre as ruas Frei Caneca e Luiz de Mascarenhas, no Farol, e vai até o Ibama, na Gruta. Em seu trajeto, o Eixo Cepa conecta as regiões norte/sul e oeste da cidade.

Toda extensão da Av. Fernandes Lima foi estudada detalhadamente

Os eixos se relacionam com os grandes polos do Jacintinho, Feitosa, Pinheiro e Jardim Petrópolis em suas posições leste-oeste, onde está concentrada uma expressiva proporção de integrações, uma vez que para estas localidades convergem diversos sistemas de transporte público – municipais e intermunicipais – que atendem a demanda da região.

As obras estão previstas para terem início em outubro deste ano e devem durar cerca de três meses.

Além de servirem como vias opcionais, os binários fazem parte também das obras preliminares que antecedem a implantação do VLT – que será localizado na Fernandes Lima. Com as vias, será possível minimizar os transtornos que serão causados pela obra do VLT, conforme explicou o secretário Mosart Amaral.

Mosart Amaral confirmou que o VLT será uma das opções de transporte de qualidade

“Estamos vivenciando um momento de crise, mas o VLT é um projeto no qual estamos colocando todo o empenho possível para que venha a ser uma realidade para nossa capital. Enquanto batalhamos pela viabilidade da obra do VLT, precisamos deixar a cidade pronta para recebê-lo assim que o recurso for assegurado. Os transtornos existirão, mas estamos garantindo desde já que sejam mínimos, através da criação dessas vias paralelas”, disse o gestor.

A introdução dos binários irá transpor diversas barreiras existentes, como o Cepa, 59° Batalhão de Infantaria Motorizada, Hospital do Açúcar, Hospital Portugal Ramalho e alguns lotes de residência.

A obra contempla pistas de rolamento, calçadas, iluminação pública, além de muros vazados nas propriedades, estruturas que garantirão a segurança dos pedestres que circulam nestes locais.

“É indiscutível a importância dos eixos Cepa e Quartel no contexto atual. Dobrando a capacidade de escoamento, estamos dando aos usuários do sistema de transporte público e individual a oportunidade de utilizar vias secundárias para deslocamento, sem a necessidade obrigatória de retornar à Avenida Fernandes Lima”, completou Amaral.

Consequentemente, a intervenção do Estado vai reduzir notavelmente o congestionamento no principal corredor estruturante da capital. “Além de estarmos contribuindo imensamente para o bem-estar da população e para o desenvolvimento urbano da cidade de Maceió", explicou o secretário de Transporte e Desenvolvimento Urbano. (Manuela Matos/Secom)

Reportar Erro