Mais Lidas

Indústria e governo

Fibra apresenta as prioridades do setor para o Legislativo e Executivo do DF

acessibilidade:

?A Agenda Legislativa e a Pauta da Indústria são contribuições da indústria local para o desenvolvimento. É o próprio setor produtivo que sabe onde o calo aperta, quais são os gargalos e as dificuldades enfrentadas pelas empresas. Ninguém faz desenvolvimento industrial com ações isoladas, nem o Governo. Então a resultante desse entrosamento é o crescimento da indústria do DF e, também, o crescimento de todo a economia?, a afirmação foi feita hoje (14/5), pelo governador Agnelo Queiroz, durante solenidade de lançamento da Agenda Legislativa da Indústria do DF 2014 e da Pauta da Indústria, realizada no edifício-sede da Fibra.

Os documentos lançados hoje pela Casa da Indústria têm a finalidade de serem instrumentos de comunicação junto aos poderes Legislativo e Executivo, apresentando o posicionamento e as propostas do setor, com o objetivo de buscar mais competitividade para o parque fabril brasiliense.

?Esse ano, encerro meu mandato à frente da Federação. E, confesso, fico feliz e tranquilo em fechar esse ciclo lançando dois documentos, que trazem os temas prioritários da indústria brasiliense, além das ações estratégicas capazes de alavancar o setor nos próximos anos. Na certeza de que se acolhidas as propostas da indústria, seja no âmbito legislativo seja no âmbito Executivo, teremos políticas públicas eficazes, que movimentarão toda a cadeia produtiva local?, disse o presidente da Fibra, Antônio Rocha, durante discurso.

Agenda Legislativa da Indústria do DF chega, em 2014, à 12ª edição. O documento reúne os temas e projetos de lei prioritários em tramitação na Câmara Legislativa do DF (CLDF) que afetam a competitividade das indústrias, indicando o posicionamento do setor como divergente e convergente, acompanhados, cada qual, por justificativa. Neste ano, 30 projetos foram priorizados pelos empresários representantes dos setores que compõem o parque fabril do DF, um extrato de todo o trabalho de diálogo e transparência realizado permanentemente pela equipe técnica da Fibra junto ao parlamento local.

O presidente da CLDF, Wasny de Roure, por sua vez, disse que a Agenda é extremamente relevante para os deputados distritais, porque é realizada de forma transparente, elenca as prioridades e identifica os obstáculos enfrentados pelo setor. ?Quero, diante dos meus amigos parlamentares, agradecer a contribuição que a Fibra tem dado. A Federação tem tido uma postura extremamente propositiva, ainda que muitas vezes criticando algumas iniciativas, mas tendo a firmeza de dialogar com os senhores parlamentares. Isso demonstra responsabilidade e compromisso com a nossa cidade?, disse. ?Quero reafirmar que a Câmara Legislativa é uma casa sempre aberta a cada um dos segmentos que compõem a Fibra?, finalizou.

Para o deputado distrital Chico Vigilante, o Estado está superado na capital federal enquanto empregador. ?Portanto, quem tem capacidade de gerar emprego é a iniciativa privada. E temos que encontrar mecanismos de não atrapalhar o setor produtivo. A parir do momento que a Fibra tem um posicionamento claro, com propostas objetivas do que ela quer para o setor no DF, isso é como se fosse uma bússola para orientar nossas ações no parlamento. E é muito importante que o setor não tenha meias palavras: ou são a favor ou são contra. Assim, vamos para o processo de discussão. Todas as entidades empresariais deveriam fazer o mesmo?, encerrou.

A Pauta da Indústria

Durante seu discurso, Rocha fez questão de enfatizar que a indústria do DF tem pressa. Segundo o presidente, o desempenho do setor industrial esteve aquém de seu potencial nos últimos anos. Ele ressaltou que a indústria local foi a que apresentou o menor incremento de participação do PIB no intervalo de 2002 a 2011, comparativamente aos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Os dados do IBGE corroboram com a preocupação de Rocha, uma vez que, no período citado, a participação da indústria do DF no PIB avançou apenas 0,4 ponto percentual, ao passo que os demais estados avançaram 3,4 pontos percentuais, em média.

E para propor soluções aos obstáculos enfrentados pelo parque fabril no DF, a Fibra lançou a Pauta da Indústria. Produzida especialmente em ano eleitoral, a publicação é dirigida aos atuais e futuros governantes, reunindo os temas prioritários e as ações estratégicas capazes de reverter a estagnação da indústria local e, inclusive, desenvolver o setor nos próximos dois anos. A proposta é que o documento seja reeditado a cada dois anos, momento no qual a Fibra fará uma reavaliação do cenário, visando à atualização do conjunto de questões e das ações prioritárias da Pauta, mantendo o diálogo entre os governantes e a indústria, fortalecendo o setor e a democracia.

?A Fibra entende que o fortalecimento do setor, paralelamente ao crescimento da economia do DF, só podem ser alcançados por meio da ação coordenada de lideranças empresariais, do governo e de diversas entidades e organizações, em âmbito local e federal?, acentuou Rocha.

O secretário das Micro e Pequenas Empresas e Economia Solidária, Antônio Augusto de Moraes, acredita que foi uma oportunidade muito boa apresentar a Pauta da Indústria, neste momento que o País atravessa, que é um ano eleitoral. ?Esta publicação podem pautar muitas das ações dos candidatos e do próprio governo para os próximos anos. É uma agenda apolítica, voltada para os interesses da nossa cidade. Acredito que o resultado será bem acima até do que o esperado pela Fibra: uma Brasília bem mais pujante, crescente e próspera?, falou Moraes.

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB/DF), que já anunciou candidatura ao governo do DF nas eleições de outubro, contou que há mais de um ano escuta os segmentos da sociedade para construir um programa de governo sintonizado com as necessidades do DF. ?É muito importante ouvir a Fibra. Precisamos criar no DF um ambiente de tranquilidade, de segurança jurídica, propício ao empreendedorismo e à inovação?, antecipou Rollemberg.

A Agenda Legislativa da Indústria do DF e a Pauta da Indústria foram entregues ao fim da solenidade. Parlamentares, representantes do Executivo local, líderes sindicais e empresários estiveram presentes no evento.

Reportar Erro