Mais Lidas

Coronavírus

Europa vai barrar brasileiros enquanto pandemia não estiver controlada

União Europeia e zona Schengen terão lista de países liberados quando reabrirem fronteiras externas

acessibilidade:
Passageiros e funcionários circulam vestindo máscaras contra o novo coronavírus (Covid-19) no Aeroporto Internacional Tom Jobim- Rio Galeão. (Fernando Frazão/Agência Brasil)

A Comissão Europeia (poder Executivo do bloco) anunicou nesta quinta-feira, 11, que países europeus vão barrar a entrada de quem vive em locais em que a pandemia de coronavírus não está controlada, quando abrirem suas fronteiras externas. A previsão de reabertura é dia 1º de julho. A lista de países que terão entrada permitida começará a ser elaborada nesta quinta.

Entre os parâmetros que serão usados para permitir viajantes do exterior estão o número de novas infecções, a tendência da epidemia (se está se expandindo ou foi controlada) e as políticas dos governos para combater o coronavírus, como testes, rastreamento de contatos e medidas de prevenção de contágio.

Na prática, residentes no território brasileiro serão impedidos de entrar na Europa enquanto o Brasil não controlar a doença.

O Brasil tem o segundo maior número de casos no mundo e caminha para ultrapassar o Reino Unido e ter o segundo maior número de mortes, mostram dados de um consórcio formado por veículos jornalísticos brasileiros. A taxa de contágio no Brasil também continua acima de 1, o que indica transmissão fora de controle.

Além da situação da pandemia, o bloco vai avaliar também a capacidade de aplicar medidas de contenção durante a viagem e medidas de reciprocidade (neste caso, para barrar a entrada dos que não abrirem suas portas aos europeus).

MAPA DE VIAGENS

Também nesta quinta, a Iata (associação das empresas aéreas) tornou disponível na internet um mapa com restrições de viagem impostas pelos países em todo o mundo, incluindo os que exigem quarentenas.

O mapa é atualizado mais de 200 vezes por dia, segundo a associação, para fornecer restrições precisas com base na cidadania e no país de residência.

Vídeos Relacionados