Dificuldades

Enchentes impactam indústria suína no Rio Grande do Sul

Em 2023, o estado foi o terceiro estado com o maior abate de suínos do Brasil

acessibilidade:
Os dados foram divulgados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). (Foto: Wenderson Araujo/CNA/Trilux).

As enchentes que assolam o Rio Grande do Sul vêm dificultando os transportes de suíno vivo para abate, de carnes aos mercados atacadistas e também de insumos utilizados pela atividade.

Como resultado da queda de pontes e destruição de estradas que interligam importantes regiões produtoras, o ritmo de negócios dentro e fora do estado está bastante lento.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (9) pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Alguns municípios não abrangidos pela pesquisa do Cepea foram atingidos com maior intensidade, com relatos de perda de animais e estragos mais graves.

Em 2023, o estado foi o terceiro estado com o maior abate de suínos do Brasil, equivalente a 19,87%, em termos percentuais, sendo 9,2 milhões de cabeças abatidas naquele período.

Além disso, o Rio Grande do Sul representou 23,1% do total exportado de carne suína no ano passado.

Reportar Erro