Tragédia RS

A Brigada Militar e a Polícia Civil de Porto Alegre prenderam mais de 60 pessoas por crimes relacionados às enchentes que atingem o estado

Das apreensões, 30 foram realizados em abrigos; a maioria é de assalto ou saque

acessibilidade:
Imagens de abrigo em Canoas. (Imagem divulga pela prefeitura de Canoas)

Segundo dados da SSP-RS (Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul) a Polícia Civil e a Brigada Militar já prenderam 78 pessoas no Rio Grande do Sul desde 2 de maio, quando o Estado passou a sofrer com as enchentes causadas pelas chuvas históricas desde o final de abril. A maioria dos crimes foi de assalto ou saque. Desse total de prisões, 30 foram realizadas em abrigos. 

O número de apreensões em abrigos mais que dobrou desde a 6ª feira (10). Em anúncio feito há 3 dias, a SSP informou que 11 prisões tinham sido realizadas nesses espaços de concentração dos desabrigados. O total era de 54. Nesta segunda-feira (13) há mais de 79.000 pessoas em centros e casas de apoio em todo o Estado devido às enchentes na região.

Em relação às suspeitas de abuso nos abrigos, a Força Nacional está no RS para ajudar nas ações de resgate e segurança de espaços exclusivos para mulheres e crianças. A iniciativa vem após a prisão de 6 pessoas por suspeita de crimes sexuais nos abrigos.

Conforme a Procempa, empresa de tecnologia da informação e comunicação da prefeitura responsável pelos abrigos, as autoridades trabalham para expandir o serviço de segurança por 24 horas.

O desastre que atinge o Rio Grande do Sul desde o dia 29 de abril já matou 147 gaúchos e afeta 90% dos municípios e fez 2,1 milhões de vítimas em todo o estado. Os dados são do balanço atualizado pela Defesa Civil estadual, às 9h desta segunda-feira (13), que registra 806 feridos nas enchentes históricas, que seguem alagando casas em meio mais chuvas que caíram no último fim de semana.