Minuta do golpe

Mauro Cid presta novo depoimento nesta segunda à PF

A expectativa é de que o tenente-coronel seja questionado sobre mensagens trocadas com militares e reuniões sobre as “minutas golpistas”

acessibilidade:
As denúncias de Cid, a rigor, anulam suas declarações sob acordo de delação premiada, até por insinuar que teriam sido “distorcidas”. (Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados).

A Polícia Federal volta a ouvir nesta segunda-feira (11) o tenente-coronel Mauro Cid. A oitiva será presencial, na sede da PF, em Brasília, a partir das 14h, e faz parte do acordo de colaboração premiada fechado entre Cid e a PF. 

O novo depoimento do militar ganhou força após dois ex-comandantes das Forças Armadas confirmarem reuniões para tratar de termos de uma minuta para um golpe de Estado. 

No dia 16 de fevereiro, o ex-comandante da Aeronáutica tenente-brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Júnior disse à Polícia Federal ter presenciado as reuniões.Em 1º de março, foi a vez do ex-comandante do Exército general Marco Antônio Freire Gomes confirmar a informação. 

A expectativa é de que o tenente-coronel seja questionado sobre mensagens trocadas com militares e reuniões sobre as “minutas golpistas”. 

O objetivo da PF agora é esclarecer lacunas sobre mensagens encontradas nos celulares e documentos de Cid, e pontos ainda em aberto após as dezenas de depoimentos de testemunhas sobre o golpe de Estado e a “Abin paralela”.

O advogado Cezar Bittencourt, responsável pela defesa do ex-ajudante de ordens, afirmou que o tenente-coronel está à disposição e “tranquilo”. Também disse que o militar não omitiu nenhuma informação e que não teria medo de nada.

Reportar Erro