de banho-maria

Lewandowski não quer criar confronto com Congresso sobre lei da saidinha

Lewandowski será um dos auxiliares com quem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se aconselhar antes de decidir sobre a sanção do texto

acessibilidade:
Lewandowski será um dos auxiliares com quem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se aconselhar antes de decidir sobre a sanção do texto da lei das saidinhas. (Foto: Ricardo Stuckert / PR).

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, tem sinalizado que não quer criar confronto com o Congresso Nacional a respeito do projeto de lei que prevê o fim da saída temporária de presos em feriados. 

Lewandowski será um dos auxiliares com quem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se aconselhar antes de decidir sobre a sanção do texto, assim que for analisado na Câmara dos Deputados. O ministro ainda não se aprofundou sobre o conteúdo do projeto que foi aprovado nesta terça–feira (20) pelo Senado, pois quer esperar a conclusão da votação pela Câmara e a versão final que será enviada ao presidente Lula. 

Assim que o texto for aprovado, Lewandowski deve analisar o texto e consultar as áreas técnicas do ministério. Integrantes do governo já começaram a reunir informações e levantamentos técnicos que poderão ser usados para justificar eventual veto ao texto.

Com base nos pareceres e notas técnicas que recebe dos auxiliares, o ministro vai aconselhar o presidente Lula. 

Reportar Erro