Fiéis

Ciro Nogueira afirma que Bolsonaro ‘não tem nada a ver com a minuta do golpe’

O senador Ciro  Nogueira negou que o ex-presidente Jair Bolsonaro tivesse conhecimento prévio sobre a minuta do golpe e afirmou que Bolsonaro só teve acesso

acessibilidade:
O senador Ciro Nogueira (Progressista-PI) negou que o ex-presidente Jair Bolsonaro tivesse conhecimento prévio sobre a chamada minuta do golpe.(Foto: Divulgação Instagram/ @cironogueira)

O senador Ciro  Nogueira (Progressista-PI) negou que o ex-presidente Jair Bolsonaro tivesse conhecimento prévio sobre a chamada minuta do golpe, mencionada durante o ato na Avenida Paulista, neste domingo (25). 

Questionado nesta segunda-feira (26), pela imprensa da CNN, sobre a possibilidade de Bolsonaro ser convocado novamente para depor à Polícia Federal (PF) após o discurso, o senador disse que o ex-presidente “não tinha nada a ver com a minuta do golpe”. 

“O presidente Bolsonaro não tinha conhecimento, não tinha nada a ver, e só teve acesso a essa minuta do golpe quando foi disponibilizado o que estava no celular do tenente-coronel Cid”, afirmou Nogueira. “Então não adianta vir com narrativas de que o presidente Bolsonaro participou da construção desta minuta.”

O senador disse ainda que “está se procurando pelo em ovo para tentar corroborar essa narrativa de golpe absurda que se criou no nosso país”. Junto  a outros parlamentares, Nogueira também esteve presente no ato, que reuniu pelo menos 185 mil pessoas, segundo estimativas da Universidade de São Paulo (USP). 

Discurso na Paulista

Durante seu discurso na Avenida Paulista, Bolsonaro falou sobre a operação da Polícia Federal (PF) que investiga ele e outros aliados por uma suposta tentativa de golpe de Estado. Ele negou o planejamento de um golpe, e afirmou que a minuta obtida pelas autoridades não caracteriza quebra constitucional.

“Agora, o golpe é porque tem uma minuta de um decreto de estado de defesa. Golpe usando a Constituição? Tenha a santa paciência”, afirmou o ex-presidente.

Bolsonaro também defendeu a constitucionalidade do estado de sítio, mas reforçou não ter feito uso da medida durante seu mandato.“Deixo claro que estado de sítio começa com o presidente da República convocando os conselhos da República e da defesa. Isso foi feito? Não. Apesar de não ser golpe, o estado de sítio não foi convocado por ninguém dos conselhos da República e da Defesa para se tramar ou para se botar no papel a proposta do decreto do estado de sítio”, disse Bolsonaro, acrescentando que essa proposta também teria que ser analisada pelo Congresso antes de ser efetivada.

Reportar Erro