Placar: 39 a 25

CCJ vota por manter deputado Chiquinho Brazão preso

O parecer segue para o plenário da Câmara, que ainda precisa do aval, onde deve obter ao menos 257 votos que autorizem a prisão do ex-parlamentar

acessibilidade:
Presidente da CCJ da Câmara, Caroline de Toni (PL-SC). Foto: Agência Câmara
Presidente da CCJ da Câmara, Caroline de Toni (PL-SC). Foto: Agência Câmara

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados decidiu, nesta quarta-feira (10), por manter o parecer da prisão preventiva do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), apontado pela Polícia Federal (PF) como um dos mandantes da execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2018. 

O parecer apresentado pelo deputado Darci de Matos (PSD-SC) na CCJ foi aprovado em manter Chiquinho Brazão preso por 39 votos a favor, 25 contra e 1 abstenção no total de 65 deputados. O parecer segue para o plenário da Câmara, que ainda precisa do aval, onde deve obter ao menos 257 votos que autorizem a prisão do ex-parlamentar. 

CCJ vota manutenção da prisão do ex-deputado Chiquinho Brazão.

Chiquinho Brazão foi expulso da União Brasil tão logo ocorreu a prisão.

 

Reportar Erro