Baculejo em Padilha

PSD ameaça Governo e cobra cargos na Saúde: ‘ministra vai dançar’

A possíbilidade da Funasa ser entregue ao Republicanos enfureceu a bancada

acessibilidade:
Padilha deveria ter pagado sua dívida em 3 parcelas até o dia 4 de outubro de 2014 Padilha deveria ter pagado sua dívida em 3 parcelas até o dia 4 de outubro de 2014 (Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha foi cobrado na Câmara pelo PSD pela entrega do comando da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) ao partido. A situação ocorreu pela possibilidade de a instituição ser entregue ao Republicanos. 

A bancada ameaçou também a ministra da Saúde, Nísia Trindade, durante a conversa e alegou que hà demora na liberação de recursos para o Rio e Janeiro. O episódio aconteceu após cerimônia de lançamento da Estratégia Nacional de Escolas Conectadas, nesta terça-feira (26), no Palácio do Planalto. 

Depois do evento o ministro foi parado em direção ao elevador pela bancada para falar sobre negociações. Dentre os parlamentares, estavam os deputados Laura Carneiro (RJ), Pedro Paulo (RJ) e o líder do PSD na Câmara, Antonio Brito. 

Os parlamentares cobraram a presidência da Funasa, reivindicada pelo PSD, e a liberação de verbas para hospitais federais no Rio de Janeiro, demonstrando insatisfação com o governo. A ministra da saúde foi o segundo alvo de críticas pela demora na disponibilização dos recursos. Em áudio registrado pela rádio CBN, em um determinado ponto da conversa, a deputada Laura Carneiro fala: “Se a gente dançar, a ministra [Nísia] vai dançar também”. 

A bancada se irritou após ver os repórteres registrando o ocorrido. Padilha disse no fim da conversa que situação foi um “baculejo”. O ministro foi procurado por jornalistas, mas evitou comentar sobre o assunto.  

Reportar Erro