Bernardo Fenelon

Advogado deixa defesa de Mauro Cid após revelação de documentos da CPMI

Bernardo Fenelon, advogado do tenente-coronel Mauro Cid o defendia desde maio, quando foi preso

acessibilidade:
Coronel Mauro Cid - Foto por: Lula Marques/ Agência Brasil

O advogado Bernardo Fenelon deixou a defesa do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). A saída de Fenelon ocorreu devido à revelação de documentos da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro, onde mostraram a negociação do Rolex pelo militar no início da semana.

Segundo a Polícia Federal (PF), Cid vendeu o relógio da marca Rolex pelo valor de US$ 68 mil e depositou o dinheiro em espécie na conta do pai dele, o general Mauro Lourena Cid.

Na sexta-feira (11), Cid, o pai dele, general Mauro Lourena Cid, o advogado Frederick Wassef e o tenente Osmar Crivelatti foram alvos de operação da Polícia Federal.

A PF apura se foi utilizado estruturas do governo para desviar joias entregues por autoridades estrangeiras em missões oficiais do ex-presidente.

Fenelon não detalhou o motivo de sua saída do caso. O defensor é o segundo advogado que deixa a defesa de Cid. O seu antecessor Rodrigo Roca, defendia o tenente até maio, mas saiu do caso depois de Cid ser preso.

Reportar Erro