Estupro

MP da Espanha pede 9 anos de prisão para Daniel Alves

A acusação se baseia no depoimento da vítima, que alega ter sido estuprada por Alves em um banheiro de uma boate em Barcelona

acessibilidade:
A defesa do ex-jogador buscava absolvição, argumentando que as relações foram consensuais. (Foto: Reprodução/ Instagram/@Danialves).

O Ministério Público da Espanha solicitou uma pena de nove anos para o ex-jogador de futebol, Daniel Alves, acusado de agressão sexual contra uma mulher de 23 anos em Barcelona. A vítima também deve receber uma indenização de 150 mil euros por danos morais e psicológicos.

O Tribunal de Barcelona notificou as partes sobre o julgamento de Daniel Alves, marcando o fim das investigações e dando cinco dias para a apresentação de acusação e defesa. A data do julgamento ainda não foi definida.

A defesa de Alves busca a absolvição, argumentando que as relações foram consensuais.

A acusação se baseia no depoimento da vítima, que alega ter sido estuprada por Alves em um banheiro de uma boate em Barcelona. Alves nega as acusações.

Segundo a vítima, ela tentou sair do banheiro, mas foi impedida por Alves, que a teria agredido sexualmente. Após o incidente, ela informou a segurança do local, mas Alves já havia saído.

A mulher foi imediatamente ao hospital para realizar exames. Dois dias depois, ela denunciou o incidente à polícia. O DNA de Alves foi encontrado nos testes realizados pela vítima.

Desde o início, a juíza do caso afirma que “há provas suficientes” para a condenação do jogador. A imprensa espanhola prevê que o julgamento ocorrerá entre o final de 2023 e o início de 2024.

Desde a prisão, Alves teve três pedidos de liberdade provisória negados, o último deles em junho.

Reportar Erro