STF

Moraes manda PGR reavaliar suposta interferência de Bolsonaro na PF

A PGR, sob a gestão passada de Augusto Aras, defendeu o fim da investigação um ano e sete meses atrás.

acessibilidade:
Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. (Foto: Carlos Moura/SCO/STF).

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, ordenou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) reconsidere o arquivamento da investigação contra o ex-presidente Jair Bolsonaro por suposta interferência na Polícia Federal (PF).

“Abra-se vista dos autos à Procuradoria-Geral da República para eventual ratificação da proposta de arquivamento”, escreveu o magistrado em decisão foi tomada nesta sexta-feira (17).

A PGR, sob a gestão passada de Augusto Aras, defendeu o fim da investigação um ano e sete meses atrás. Em setembro de 2022, a PGR solicitou o arquivamento do inquérito iniciado em 2020 para investigar a suposta interferência de Bolsonaro na Polícia Federal.

A vice-procuradora-geral Lindôra Araújo enviou uma manifestação ao STF indicando que não havia justa causa para apresentar uma denúncia no caso.

A Corte tem a responsabilidade de aceitar o pedido da Procuradoria e encerrar a investigação.

No entanto, Moraes ainda não havia analisado o pedido. Desde dezembro, a PGR é liderada por Paulo Gonet, indicado pelo presidente Lula (PT).