CPMI do 8 de janeiro

Militar diz que R$72,7 mil com Cid foi por venda de carro

O sargento Luis Marcos dos Reis afirmou que vendeu um Toyota Yaris que pertencia a Mauro Cid, e os dois trataram a transferência por telefone

acessibilidade:
Dos Reis trabalhou junto a Mauro Cid como ajudante de ordens, na gestão do então presidente Jair Bolsonaro (PL). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado.

O sargento Luis Marcos dos Reis, apontado como autor de movimentações financeiras com o tenente-coronel Mauro Cid, declarou nesta quinta-feira (24), durante sessão da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro, que o envio de R$ 72,7 mil é fruto da venda de um carro.

O nome do sargento é o que mais aparece na lista de transações financeiras com Cid. A maior soma é um depósito em favor do tenente-coronel no valor de R$ 72,7 mil. Ambos trabalharam juntos até agosto do ano passado, como ajudantes de ordens da Presidência da República durante a gestão do então presidente Jair Bolsonaro (PL).

Reis afirmou que vendeu um Toyota Yaris que pertencia a Mauro Cid. Os dois trataram da transferência do dinheiro durante uma ligação telefônica.

Outra operação bancária envolveu R$ 11,7 mil. Mais uma vez a explicação de Dos Reis tem relação com o carro de Mauro Cid. O sargento declarou que a mulher do tenente-coronel passou por cima de buraco na estrada durante uma viagem entre Brasília e Goiânia.

Como tinha reunião com o comandante do Exército, Mauro Cid pediu para o amigo levar o Yaris na oficina para o conserto. O mecânico teria cobrado R$ 11,7 mil pela troca dos quatro pneus, alinhamento e balanceamento.

De acordo com sargento, a despesa foi paga com seu cartão e Mauro Cid fez a transferência mais tarde.

 

Reportar Erro