Ofensas à religião Cristã

Deputados apresentam representação criminal contra ‘Sem Terras’

O MTST publicou na Sexta-Feira Santa uma imagem de Jesus Cristo crucificado com a frase: 'bandido bom é bandido morto'

acessibilidade:
A representação criminal apresentada nesta quarta-feira (10) foi endossada por 20 parlamentares gaúchos. (Foto: Reprodução/Instagram/@Eliana.Bayer).

Um grupo de parlamentares do Rio Grande do Sul, encabeçados pela deputada estadual Eliana Bayer (Rep), apresentaram ao Procurador-chefe do Ministério Público Federal da 4ª região, Dr. Felipe da Silva Müller, uma representação criminal contra o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), após uma postagem na Sexta-Feira Santa.

A postagem em questão, que viralizou com mais de 4 milhões de visualizações, mostrava uma imagem de Jesus Cristo crucificado com a frase: “bandido bom é bandido morto”, interpretada como intolerância religiosa e incitação ao preconceito, o que é considerado crime no Brasil.

Eliana Bayer, como presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade Religiosa, mostrou indignação com a postagem e solicitou uma investigação federal para identificar e punir os responsáveis pela conta nas redes sociais.

A representação criminal apresentada nesta quarta-feira (10) foi endossada por 20 parlamentares de diferentes partidos, entre eles:

•Eliana Bayer, Capitão Martim, Delegado Zucco, Gustavo Victorino e Sérgio Peres do Republicanos (Rep);
•Adriana Lara, Claudio Tatsch, Kelly Moraes, Paparico Bacchi e Rodrigo Lorenzoni do Partido Liberal (PL);
•Guilherme Pasin, Joel Wilhelm, Marcos Vinícius e Silvana Covatti do Progressista (PP);
•Elizandro Sabino do Renovação Democrática;
•Felipe Camozzato do Novo;
•Airton Lima e Claudio Branquieri do Podemos;
•Professor Bonatto do PSDB;
•Elton Webber do PSB.

Os parlamentares buscam, com essa ação, não apenas denunciar o ato de intolerância, mas também promover o respeito e a harmonia entre as diversas crenças religiosas na sociedade.

 

Reportar Erro