STF

Barroso nega pedido de defesa e mantém Anderson Torres preso

A defesa alegou que houve piora no quadro de saúde do ex-secretário de Segurança Pública do DF

acessibilidade:
Ação foi relatada pelo ministro Luís Roberto Barroso (Foto: Carlos Moura/SCO/STF.)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, negou o pedido de liberdade do ex-ministro da Justiça e ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres. A defesa do ex-ministro havia apresentado o pedido de soltura alegando uma piora no quadro psicológico.

A Procuradoria Geral da República (PGR) tinha apresentado um parecer a favor da soltura de Torres.

Barroso alegou que o STF tem entendimento consolidado que a ação da defesa de Torres não cabe habeas corpus contra a decisão do ministro da Corte.

“Nessas condições, não há alternativa senão julgar extinto o processo, sem resolução do mérito, por inadequação da via eleita”, declarou Barroso.

No pedido a defesa havia alegado que Anderson Torres. “Apresentou sintomas de alteração emocional, em aparente crise de ansiedade, chorando de forma compulsiva, relatando enorme saudade de seus familiares, em especial de suas filhas, expondo palavras e ideias sem nexo, e expôs seu desânimo com a manutenção de sua vida”.

Torres está preso desde 14 de janeiro por suposta omissão nos atos ocorridos em 8 de janeiro nos prédios públicos dos Três Poderes, em Brasília. No período ele era secretário de Segurança Pública do Distrito Federal

Reportar Erro