Mais Lidas

Contrato de R$ 2,5 milhões

Dois anos e meio depois, GDF lança concurso para urbanizar orla do lago

Projeto precisa identificar uso da margem do lago Paranoá

acessibilidade:

Somente agora, dois anos e meio após o início da desobstrução da orla do Lago Paranoá, o "Projeto Rola Livre", do governo do Distrito Federal, lançou nesta sexta (15) o concurso para concorrer a um contrato de R$ 2,5 milhões para definir pistas de corrida e de ciclismo e equipamentos urbanos. As inscrições ficam abertas da próxima segunda (18) até 23 de fevereiro.

“Brasília devolve seu espaço mais nobre, bonito e atrativo para o conjunto da população, isso é um salto civilizatório. Essa é uma conquista da população e um legado que deixaremos para as próximas gerações”, declarou o governador Rodrigo Rollemberg durante a assinatura do edital.

Os projetos devem englobar aspectos arquitetônicos, urbanísticos e paisagísticos que indiquem uso, atividades e configuração da orla do Lago. As aéreas que o GDF consideram readequadas – como os Parques Asa Delta e Península Sul, no Lago Sul – devem ser integradas e respeitadas no projeto que será escolhido.

O chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, apontou que o vencedor deve fomentar a região como uma área de lazer democrática e de caráter ambiental. “O lago é um importante manancial, que serve como água potável para o DF, por isso devemos investir em uma proposta que tenha essa preocupação.”

“Esperamos um projeto conceitual, integrador, que amarre os 109 quilômetros da orla em um só conceito, de alta qualidade técnica e vanguarda artística”, explicou o secretário de Habitação, Thiago de Andrade. O vencedor terá ainda que desenvolver um projeto básico para duas áreas no Lago Sul e uma no Lago Norte – com potencial para bosques, parques urbanos, trilhas, praia, píer, marinas e atividades de comércio e serviço de apoio para os visitantes.

O contrato de R$ 2,5 milhões será arcado com o Fundo de Desenvolvimento Urbano do Distrito Federal (Fundurb).

Áreas ocupadas

Em agosto de 2015, por determinação judicial, o governo do Distrito Federal realizou operações de desobstrução da orla do Lago Paranoá, recuando cercas no limite de até 30 metros a partir da margem. O objetivo da ação era tornar as áreas acessíveis para toda a população e não só aos moradores dos lotes nas redondezas.

No entanto, algumas áreas desobstruídas começaram a ser ocupadas depois das ações do governo local. Em outrubro, o Diário do Poder denunciou a ocupação da orla entre as QL 8 e 10 do Lago Sul por barracos, retirados pela Agefis posteriormente.

Reportar Erro