Preocupação

DF: Segurança fará prevenção contra violência nas escolas

Além do reforço do policiamento, haverá pontos de observação

acessibilidade:
Foto: PMDF

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF) vai implementar uma série de medidas preventivas nas imediações de escolas.

Além do reforço do policiamento, haverá pontos de observação, em locais definidos a partir de estudos realizados pela pasta, que elenca as unidades escolares que demandam maior atenção.

O secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar ressalta que a  presença mais forte dos operadores de segurança pública contribui para inibir ações criminosas e impacta diretamente na sensação de segurança da população. “Se for necessário, convidaremos outros órgãos para integrar a ação”.

O Sistema de Inteligência de Segurança Pública fortalecerá o monitoramento da deep web, a chamada “internet profunda”, e perfis em redes sociais que propagam ou fazem apologia à violência nas escolas.

Sandro Avelar, destaca que o trabalho é uma ação estratégica e preventiva, planejada a partir de levantamentos de inteligência.

“Com monitoramento feito pelos setores de inteligência da SSP-DF e das forças de segurança, que prevê reforço do policiamento e aumento da presença do Estado nas imediações de unidades de ensino e, ainda, de resposta rápida em casos de ameaças e de emergência, garantindo a tranquilidade à comunidade escolar e à população do DF”.

Avelar informou que por meio de um levantamento de vulnerabilidade da SSP-DF, que inclui ocorrências registradas dentro e fora das unidades escolares, foi possível identificar 60 escolas que terão atenção maior nas ações.

“Isso não significa, necessariamente, que atuaremos somente nesses locais. Nosso planejamento inclui todo o perímetro escolar e não se limita apenas à rede pública de ensino, mas também escolas particulares e creches”.

O total das 60 escolas foram divididas entre as quatro companhias do Batalhão Escolar (BPEsc) da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). O Batalhão será essencial nas ações programadas e contará com o reforço no policiamento ostensivo com policiais do Serviço Voluntário Gratificado (SVG). Além disso, estão sendo realizadas visitas técnicas nas unidades escolares mais vulneráveis, com apoio de batalhões de área.

Os casos de ameaça ou de crimes identificados terão prioridades e serão tratados por meio de protocolos operacionais e de fluxos de informação da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), envolvendo as delegacias Eletrônica (DE), de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), da Criança e do Adolescente (DCA), de Operações Especiais (DOE), além do Instituto de Identificação (II) e das unidades circunscricionais, que auxiliarão nos atendimentos emergenciais.

O BPEsc, diante dos casos de ameaça de crimes na escola, reforçará o protocolo de visita técnica. “Nessas visitas, conversamos com os dirigentes da unidade, e orientamos sobre a necessita de efetuar o registro de ocorrência policial, identificação do aluno, para aplicação das medidas de responsabilização, conforme prevê a legislação”, explica a comandante da unidade, tenente-coronel Renata Cardoso.

Além das ações de policiamento, investigação e monitoramento, será feito redirecionamento de pontos de observação e blitze, que já fazem parte da rotina de trabalho do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) e do Corpo de Bombeiros (CBMDF) para as proximidades de escolas, afirma Sandro Avelar.

Reportar Erro