Mais Lidas

Bicentenário da Independência

Pensadores do Brasil: IGVB lança coleções de livros que enaltecem a história nacional

O evento será nesta segunda-feira (21), no Ministério do Meio Ambiente e conta com a presença de Hamilton Mourão

acessibilidade:
General Villas Bôas e Hugo Studart apresentam linha editorial de Pensadores do Brasil. Foto: Arquivo Pessoal

O Instituto General Villas Bôas (IGVB) lança, em um evento nesta segunda-feira (21), as Coleções Pensadores do Brasil que publica 200 das obras mais representativas produzidas no país nos últimos 200 anos. Em homenagem ao bicentenário da Independência, o projeto terá 20 coleções reunidas por temas. O evento de lançamento ocorre hoje, a partir das 16h, no Auditório Ipê do Ministério do Meio Ambiente.

Participarão do lançamento o vice-presidente Hamilton Mourão, o ministro da Educação, professor Milton Ribeiro e o secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência, almirante Flávio Rocha, bem como o general Marco Aurélio Vieira, presidente do IGVB.

Fortalecendo a identidade do Brasil e trazendo histórias que enaltecem a soberania nacional, as três primeiras edições já foram aprovadas, cujos temas são: Amazônia, Pensamento Estratégico Nacional e Pensamento Econômico Brasileiro.


Quatro obras já foram editadas e serão apresentadas ao público no lançamento:  Geopolítica e Poder, de Golbery do Couto e Silva; Missão Rondon e Expedição Roosevelt, de Cândido Mariano Rodon; A Organização Nacional, de Alberto Torres; e A Amazônia e a Cobiça Internacional, de Arthur Reis.

Inspiração

As Coleções Pensadores do Brasil foram inspiradas em duas coletâneas históricas: Coleção Brasiliana, da Companhia Editora Nacional, de Monteiro Lobato, que lançou 415 obras sobre o Brasil a partir da década de 1930; e a Coleção Humanidades, da Editora Universidade de Brasília, que na década de 1980 publicou mais de 300 obras referência sobre Filosofia e Política.

“Quase 50 anos depois de começar a pensar nesse projeto, Villas Bôas lança em Brasília um dos maiores e mais ousados empreendimentos editoriais da nossa história. Tive a sorte louca de ter sido convidado por Villas Bôas para integrar esse projeto como membro de um Conselho Editorial de notáveis. Ainda, recebi a missão de ocupar a função de Diretor Editorial, qual seja, dar um jeito de publicar uma obra por semana a partir de fevereiro de 2021. Talvez até seis obras por mês”, diz o jornalista e historiador Hugo Studart (foto junto com o General Villas Bôas)

 

Reportar Erro