Mais Lidas

Empreendedores do DF

Mutirão da Simplificação atende empreendedores no Plano Piloto

Durante quatro dias, uma força-tarefa atendeu a cerca de 1,8 mil pessoas

acessibilidade:
O próximo Mutirão acontecerá na Região Administrativa de Águas Claras, no mês de agosto

O Sebrae no DF, em parceria com o Governo do Distrito Federal, encerrou na sexta-feira (27/7), o 13º Mutirão da Simplificação. A iniciativa que ofereceu, orientações sobre registro e licenciamento de empresas aconteceu na plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto e também capacitou empreendedores da Região Administrativa (RA).

Durante quatro dias, uma força-tarefa atendeu a cerca de 1,8 mil pessoas, quase 30% a mais do que a expectativa inicial. O evento também capacitou aproximadamente 350 pessoas, em 20 oficinas. Somando as outras edições, o Mutirão da Simplificação já atendeu a mais de 38 mil pessoas e capacitou cerca de 11 mil empreendedores.

A facilidade de operação do sistema de registro e licenciamento de empresas, o RLE@Digital, agilizou o atendimento. Por meio do ambiente eletrônico, que concentra todas as informações necessárias para formalizar um novo negócio, foi possível evitar que o público precisasse se deslocar entre diversos órgãos públicos, na tentativa de abrir seu empreendimento.

Rodrigo Sá, superintendente do Sebrae no DF, comemorou os resultados da iniciativa e ressaltou a parceria mantida pela entidade com o Governo do Distrito Federal e com outras instituições. “O trabalho do Sebrae no DF é potencializado por seus parceiros. Juntos, estamos facilitando a vida do pequeno empreendedor brasiliense e esta nova edição do Mutirão reafirma isso”, destacou.

Morador da Asa Sul, Felipe Reis foi um dos empreendedores atendidos pela força-tarefa. Há cinco anos, ele tentava dar baixa em uma empresa de corretagem de seguros, mas sempre esbarrava em entraves burocráticos. A ida até o Shopping Conjunto Nacional para resolver outro problema fez Felipe notar a tenda do Mutirão. “Estava passando pela calçada e a estrutura chamou atenção. Quando cheguei aqui, vi que minha situação poderia ser resolvida”, contou.

Em poucos minutos, Felipe conseguiu resolver os problemas e, enfim, dar baixa na antiga empresa. Ele ainda aproveitou a oportunidade para formalizar um novo negócio. “Sou formado em Educação Física e sempre quis atuar nesta área, mas não tinha condições de abrir outro novo negócio. Agora, formalizei uma microempresa e posso materializar um sonho que tenho há anos”, acrescentou o empreendedor.

Com a disposição de trabalhar por conta própria, Rebeca Revelyn Araújo aproveitou o horário de almoço para ir a uma das salas do Mutirão e passar por uma capacitação. Ela mora em Valparaíso de Goiás e planeja abrir uma loja de vestuário feminino. “Nunca tive contato com o empreendedorismo e vim até aqui para começar bem. Conversei com uma amiga e ela me falou que o Sebrae estaria aqui na rodoviária oferecendo essas oportunidades gratuitas”, disse.

A potencial empreendedora participou de uma palestra sobre fluxo de caixa, obteve diversas dicas importantes e conheceu as vantagens de ser microempreendedora individual. Rebeca garante, ainda, já ter várias ideias para estruturar seu negócio, mas reconhece que é necessário aperfeiçoar a proposta. “Pretendo abrir a loja até o fim do ano e tenho ideias para o nome e a logomarca. Sei que posso aprimorar o projeto e o Sebrae será fundamental para que eu amadureça minha ideia e me firme no mercado”, completou Rebeca.

O próximo Mutirão acontecerá na Região Administrativa de Águas Claras, no mês de agosto.

Casa Azul Felipe Augusto

Ao lado da tenda onde aconteceram os atendimentos e capacitações, foi montada a exposição de artesanato da Casa Azul Felipe Augusto, uma Organização Não-Governamental (ONG) que combate desigualdades sociais e oferece assistência social a quase duas mil crianças, jovens, adolescentes e suas famílias.

O Sebrae no DF apoia a instituição conta desde 2015, oferecendo cursos e palestras sobre empreendedorismo, planejamento e liderança, além de consultorias em plano de negócios para mulheres empreendedoras que já desenvolvem uma atividade empresarial. “A atuação do Sebrae completou o nosso trabalho. Foi só a entidade chegar que começou a orientar melhor as ações das mulheres que participaram das iniciativas, apresentando a elas uma vida nova”, ressaltou Maria Elisabeth Boaventura, colaboradora da Casa Azul.

A exposição contou com quadros, caixas de presentes, porta-joias, porta-batons e artigos de decoração com temáticas infantis.

Reportar Erro